A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

21/01/2012 11:07

Câmara tem que se virar com o próprio orçamento, diz Nelsinho

Edmir Conceição e Paula Vitorino

O prefeito Nelsinho Trad (PMDB) disse que não há previsão orçamentária para reforma e nem construção de prédio próprio para a Câmara de Campo Grande. Perguntado sobre a falta de espaço aos futuros novos vereadores e o imblóglio do aluguel do prédio ocupado pelos vereadores, Nelsinho lembrou que a o Poder Executivo tem o dever constitucional de repassar o duodécimo e o Legislativo tem sua independência administrativa para gerir seu orçamento.

“Quando eu fui presidente da Câmara o aluguel (além todas outras despesas e gastos de custeio) era pago com o duodécimo”, disse, descartando mais uma vez ajuda financeira para resolver o problema.

A polêmica entre a Câmara e a empresa dona do imóvel hoje ocupado pelos vereadores começou quando o valor do aluguel, que era de R$ 35 mil, foi considerado abusivo pelo MPE (Ministério Público Estadual). Em 2001 uma liminar reduziu o pagamento para R$ 15 mil. Entretanto, desde 2005 a Câmara não deposita os valores. A Haddad Engenheria, proprietária do imóvel, alega que o valor do aluguel deveria ser de R$ 90 mil.

Ontem o presidente da Câmara, Paulo Siufi (PMDB), disse que aguardava uma decisão do prefeito sobre a falta de lugar para acomodar os oito novos vereadores que vão chegar a Casa em 2013. Siufi não quer alugar outro espaço e pede apoio para construir um anexo. Ele acredita que a melhor solução seria sair do prédio atual. “Temos que sair de lá. Ficou fora de mão. Não tem sala de imprensa, de informática. Não tem nada. Ninguém quer mordomia, mas condições ideais de trabalho”, afirma.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


1)..manda pra rua a centena de assessores que cada vereador tem, que é um verdadeiro cabide de emprego, que irá sobrar muito espaço
2) Mudem pra rodoviária...
 
Sergio Correa em 21/01/2012 03:57:41
esse éo nosso brasil ! ta sobrando dinheiro em plena crise mundial.
aumento salarial exorbitante de toda a classe politica com exeçao do salario minimo e como se nao bastasse o aumento do numero de vereadores
etc. isso é uma vergonha!
 
janilson cavalcante em 21/01/2012 02:34:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions