ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 18º

Política

Campanha terá disputa direta entre candidatos de Reinaldo e de Délia Razuk

Barbosinha e Alan Guedes devem polarizar eleição na segunda maior cidade de MS

Por Helio de Freitas, de Dourados | 27/09/2020 12:51
Valdenir Machado (à esquerda) cumprimenta Barbosinha, observados por Geraldo Resende (Foto: Divulgação)
Valdenir Machado (à esquerda) cumprimenta Barbosinha, observados por Geraldo Resende (Foto: Divulgação)

Impactada pela pandemia do novo coronavírus, a campanha eleitoral de 2020 já está nas ruas. Em Dourados, a 233 km de Campo Grande, sete candidatos a prefeito e 347 candidatos a vereador vão disputar os votos de 164.395 eleitores, segundo maior colégio eleitoral de Mato Grosso do Sul.

Apesar do número recorde de candidatos, a disputa deve ser polarizada pelos dois concorrentes com mais cacife político: o deputado estadual José Carlos Barbosa (DEM) e o atual presidente da Câmara de Vereadores Alan Guedes (PP).

Aos 55 anos, Barbosinha entra na eleição com apoio do PSDB, o partido do governador Reinaldo Azambuja. A legenda tucana indicou como candidato a vice-prefeito o veterano político douradense Valdenir Machado, ex-coordenador do escritório regional do Governo em Dourados.

Além do DEM e PSDB, a coligação “Reconstruir é Nosso Desafio” tem Avante, Patriota, Podemos, PSB, MDB, PSD e Solidariedade.

Natural de São Simão (GO) e ex-prefeito de Angélica, Barbosinha tem o DNA do governo do Estado por ter sido secretário estadual de Segurança Pública e exercido a liderança de Reinaldo Azambuja na Assembleia Legislativa.

O principal concorrente de Barbosinha é o jovem político douradense Alan Guedes. Aos 34 anos, o advogado de carreira cumpre o segundo mandato na Câmara de Vereadores e entra na sexta disputa eleitoral. Em 2018, teve 11.145 votos como candidato a deputado federal.

Alan Guedes, candidato a prefeito pelo PP, e o vice Guto Moreira, do PL (Foto: Divulgação)
Alan Guedes, candidato a prefeito pelo PP, e o vice Guto Moreira, do PL (Foto: Divulgação)

Alan Guedes tem como candidato a vice o médico Carlos Augusto Moreira (PL), o Doutor Guto, outro douradense nato. Guto foi secretário adjunto de Saúde na gestão de Délia Razuk em 2017. Sobrinho do ex-prefeito José Elias Moreira, que ocupou uma das principais secretarias no governo Délia Razuk (Planejamento) e depois se tornou conselheiro da prefeita, Guto é filho de uma amiga e assessora de longas datas de Délia Razuk.

O PL, partido de Guto Moreira, foi a legenda pela qual a prefeita foi eleita em 2016, derrotando o também candidato apoiado pelo governador, o atual secretário estadual de Saúde Geraldo Resende.

Oficialmente, a atual prefeita deve declarar apoio ao candidato do PTB, o advogado indígena Wilson Matos. O partido é liderado atualmente em Dourados pelo filho de Délia, o deputado estadual Neno Razuk. Mas, Délia Razuk declarou recentemente que gostaria de ver Alan Guedes no comando do município a partir de 1º de janeiro de 2021.

A declaração de Délia Razuk na recente entrevista gravada em vídeo para um portal de notícias de Dourados, afirmando que gostaria de ver Alan na prefeitura, foi vista como indicativo de acordo previamente costurado com a indicação do vice na chapa.

A candidatura própria do PTB é vista pelos adversários de Alan Guedes como manobra para não contaminar o vice. Pesquisas internas teriam revelado que a prefeita poderia tirar votos de qualquer candidato apoiado por ela.

Outros candidatos – Além de Barbosinha/Valdenir e Alan Guedes/Guto, a Prefeitura de Dourados também será disputada pelo professor universitário João Carlos de Souza, que tem como vice Lourdes Castro de Oliveira, os dois filiados ao PT.

O partido que governou Dourados por oito anos, com o também professor e ex-deputado estadual Laerte Tetila, não conseguiu mobilizar as forças de esquerda e tem candidatura em chapa pura nessas eleições.

Primo da senadora Soraya Thronicke, o empresário Mauro Thronicke é o candidato a prefeito do PSL, ex-partido do presidente Jair Bolsonaro. Mauro tem como vice João Fabiano Davansso.

Outro na disputa pela prefeitura é o farmacêutico Racib Panage Harb (Republicanos), que tem como vice a instrutora de trânsito Dilvania Todescato, do mesmo partido. Racib chegou a compor o governo Délia Razuk no início do mandato dela, quando coordenou a Farmácia Central , mas deixou o cargo após desentendimentos internos.

O PTB lançou o advogado Wilson Matos da Silva à sucessão da prefeita Délia Razuk. É o primeiro índio a disputar o cargo de prefeito em todo o Mato Grosso do Sul. Ele tem como vice o professor Léo (PDT), partido comandado pelo deputado federal Dagoberto Nogueira, um dos principais aliados de Délia Razuk.

O empresário de comunicação Jeferson Bezerra (PMN) completa a lista dos nomes que vão disputar a Prefeitura de Dourados. Ele tem como vice Messias de Souza (PMN).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário