A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

06/11/2012 16:31

Candidato à reeleição pelo comando do PMDB, Esacheu nega crise

Fabiano Arruda
Presidente estadual do PMDB, Esacheu Nascimento, fez críticas ao prefeito Nelsinho Trad. (Foto: Minamar Junior)Presidente estadual do PMDB, Esacheu Nascimento, fez críticas ao prefeito Nelsinho Trad. (Foto: Minamar Junior)

O presidente do diretório estadual do PMDB, Esacheu Nascimento, rejeitou nesta terça-feira que haja crise ou racha dentro do partido. Recentemente, ele criticou a participação do prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) na campanha de Edson Giroto (PMDB).

A declaração repercutiu e, tanto o prefeito, como seu irmão, o deputado federal Fábio Trad (PMDB), já defendem sua saída do comando da legenda em Mato Grosso do Sul. No entanto, Esacheu avisa que deve concorrer a reeleição na disputa que deve ocorrer no mês que vem.

“Não existe crise. Sempre pautei minha postura pelo equilíbrio, agora, o partido realiza reuniões periódicas e quem se ausenta não pode dizer que não há unidade”, disse, acrescentando que a discussão “antecipa o evento” que ocorre em dezembro.

Na linha crítica, Esacheu afirmou que o PMDB não pode admitir que a “hegemonia de uma família” imponha uma candidatura sem consultar as lideranças partidárias, numa referência ao pleito de Nelsinho para ser candidato ao Governo do Estado em 2014.

Além disso, afirmou que o político tem que receber o ônus da vitória, mas arcar com o ônus da derrota, mencionando a participação de Nelsinho como coordenador da campanha de Giroto.

Para Esacheu, as decisões do partido na eleição de 2014 terão que ser bastante respaldadas, pois a legenda tem um capital político a ser preservado.

“O resultado das eleições foi positivo, estamos presentes, somando os prefeitos e vices, em 43 municípios e elegemos 146 vereadores. Tudo no PMDB é na base da democracia interna. Todos têm o direito de propor, mas respeitar as decisões coletivas”, disse.

Rusga – Nesta terça, o prefeito Nelson Trad Filho, defendeu, durante agenda pública, que Esacheu não deveria manifestar opiniões como presidente da legenda.

“Além de ter me criticado, criticou nosso candidato a prefeito que se esforçou muito durante a campanha. O mínimo que se esperava dele era solidariedade”, afirmou.

“Essa não é a primeira escorregada dele e já está na hora de deixar o cargo”, destacou Nelsinho.

Ontem (5), o deputado federal Fábio Trad havia defendido a substituição e chegou a mencionar que o senador Waldemir Moka e o ex-deputado Youssiff Domingos seriam bons quadros para ocupar o posto.



Ezacheu, você não deveria criticar o Nelsinho Trad.
Ele representa uma família que está no poder, mas sempre trabalhou pela nossa Capital.
Aliás, a familia Trad sempre prestou bons serviços para a Capital e para o Estado.
O Nelson Trad pai deixou saudade pelo seu bom trabalho.
Ezacheu, chega de reeleição, permita que seja mudado o mando no PMDB, você já fez a sua parte.
 
VALDIR VILLA NOVA em 07/11/2012 08:45:36
Esse presidente do PMDB nao entende nada de politica. Sempre trabalhou para o Senador Ramez, é natural que queira a Simone Tebet para o Governo em 2014.
Criticar a participação do Nelsinho na campanha é um absurdo pois o candidato era o Giroto pelo ANDRÉ.
Lógico que o Nelsinho tem que ser candidato ao Governo em 2014, mas esse Esacheu nao decide nada. É rainha da inglaterra no PMDB e todos sabem.
 
leandro chaves em 06/11/2012 19:21:34
ACORDA CLAN TRAD.... querem mandar na capital e no seu partido,,, e é por isso que o 15 foi derrotado nas urnas, o povo quer gente nova sangue novo... todos tem direitos de concorrer e de chegar lá, desde o mais pobre até ao menos estudado... desde que a população o aclame por sufragio universal.ou seja voto direto
 
MATEUS COSTA em 06/11/2012 19:12:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions