A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

18/08/2011 18:55

Capital já tem 38 km de ciclovias; melhoria e segurança no trânsito

Edmir Conceição

De acordo com estatísticas, Campo Grande tem uma frota de aproximadamente 200 mil bicicletas. Ciclovias vão dar mais segurança

Pedestres devem ser orientados a andar apenas no passeio (calçadas). (Foto: João Garrigó)Pedestres devem ser orientados a andar apenas no passeio (calçadas). (Foto: João Garrigó)
Principais eixos rodoviários de Campo Grande terão ciclovias. (Foto: João Garrigó)Principais eixos rodoviários de Campo Grande terão ciclovias. (Foto: João Garrigó)

A reformulação do sistema viário de Campo Grande, com implantação de novas vias de trânsito rápido e avenidas coletoras, não assegura apenas melhoria no tráfego de veículos, mas também no trânsito de ciclistas. A Prefeitura de Campo Grande está ampliando as ciclovias, que devem chegar a uma extensão de 38 quilômetros após a conclusão do complexo Imbirussu-Serradinho e Orla Morena-Duque de Caxias.

Segundo a Prefeitura, nas áreas de influência dos parques lineares estão sendo implantadas ciclovias novas. Já as ciclovias das saídas da Capital – Gury Marques (SP) e Cônsul Assaf Trad (MT), além da Avenida dos Cafezais, estão sendo revitalizadas e preparadas ao uso, com sinalização da pista e placas indicativas.

Segundo o secretário de Governo da Prefeitura da Capital, Rodrigo Aquino, os ciclistas se habituaram a circular em vias normais, enfrentando não só a poluição ambiente como se submetendo a riscos constantes. Com a revitalização das antigas ciclovias e os dois novos projetos, a expectativa é de que a população passe a utilizar os corredores exclusivos quando transitar em bicicletas.

O pedestre Mark Souza, 41 anos, diz que enquanto não está pronta, a ciclovia no eixo Imbirussu-Serradinho serve de caminho aos pedestres. Ele reconhece o perigo, mas prefere andar por onde os veículos não trafegam. "As novas avenidas estão mudando a cidade e essas ciclovias vão fazer a diferença". Já Sidney dos Santos, 36, morador na região do Aeroporto, diz que está circulando pela ciclovia com mais segurança. "Uso sempre a bicicleta e quase sofri acidente quando andava nas vias normais. Agora fico muito mais tranquilo".

Com 38 quilômetros de ciclovias, Campo Grande se aproxima das cidades no ranking mundial em vias exclusivas para ciclistas. Bogotá, capital da Colômbia, é a terceira e tem pouco mais de 100 km de ciclovias. No Brasil, a cidade com maior extensão de ciclovias é Curitiba, com pouco mais de 50 km. De acordo com estatísticas, Campo Grande tem uma frota de aproximadamente 200 mil bicicletas. No ranking mundial, as cidades com melhor estrutura viária para ciclistas são Amsterdã (Holanda), Copenhagen (Dinamarca), Bogotá (Colômbia), Curitiba (Brasil), Montreal (Canadá), Portland (Estados Unidos); Basileia (Suíça), Barcelona (Espanha), Pequim (China) e Trondheim (Noruega)

Hoje, com o crescimento do número de pessoas optando por andar de bicicletas, a ciclovia se tornou um sistema fundamental à engenharia de tráfego e à segurança. Ela pode ou não ser a opção mais segura ou apropriada, pois a quase totalidade dos acidentes envolvendo ciclistas acontece em cruzamentos. Daí a preocupação da Prefeitura em sinalizar e dar condições para que as ciclovias, construídas há algum tempo passem a ter utilidade.

..
..


O grande problema para quem usa essas ciclovias pode ser visto na segunda foto da reportagem, mesmo tendo a calçada ao lado os "pedestres" usam a ciclovia para fazer sua caminhada.Na minha humilde opinião a ciclovia segrega o ciclista ao invés de agregar o ciclista ao trafego normal, a solução mais barata e que evitaria o problema do uso da ciclovia pelos pedestres seria a implantação de ciclofaixas, somente com sinalização vertical e em determinados lugares com uso de taxões assim como foi feito na saída de Cuiabá, é uma solução mais barata e ajuda a inserção das bicicletas como meio de transporte urbano.
 
Luciano Yamauchi em 19/08/2011 12:09:05
Vou e volto para o trabalho que fica uns 1800 metros de bicicleta de 2 a 3 vezes por semana e não acho coisa de pobre, mas como foi dito antes, muita gente acha atraso, mas é modernidade. Vejo que com a criação da ciclovia vimos outra necessidade que é de pista de caminhada. Devido esta necessidade as pessoas caminham na ciclovia, embora seja errado e perigoso, o povo utiliza por necessidade e não por vandalismo ou provocação.
 
Fábio Nogueira em 19/08/2011 08:32:36
Não basta apenas construir ciclovias, precisamos mesmo é de mais respeito, o cidadão que opta por bicicleta no Brasil é visto como um mero "pobretão" que não pode comprar um carro, nos países desenvolvidos, principalmente na Europa quem anda de bicicleta simplesmente é alguém que opta por uma vida mais saudável e quer fugir do trânsito conturbado das grandes cidades.
O Bom senso precisa começar a ser mais observado por aqui.
 
Oswaldo Benites em 18/08/2011 11:08:21
É uma piada dizer que "Campo Grande se aproxima das cidades no ranking mundial..." Qualquer cidade européia em ciclovias e ciclofaixas espalhadas por toda a parte, e a prioridade é sempre da bicicleta mesmo que a faixa exclusiva não exista. Londres não tem apenas ciclovias, mas verdadeiras autopistas exclusivas para bicicletas. Campo Grande está no caminho certo, mas tem muito a evoluir!
 
Luiz Pereira em 18/08/2011 07:08:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions