ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 29º

Política

Chaves é “última cartada” de Delcídio para salvar mandato de Bernal

Vinícius Squinelo e Edivaldo Bitencourt | 04/11/2013 22:58
Delcídio avalizou campanha de Bernal e agora tenta salvar prefeito da cassação (foto: arquivo)
Delcídio avalizou campanha de Bernal e agora tenta salvar prefeito da cassação (foto: arquivo)

A indicação de Pedro Chaves (PSC) para a Secretaria Municipal de Governo é a última cartada do senador Delcídio do Amaral (PT) para salvar o mandato do prefeito Alcides Bernal (PP) e evitar um desgaste ainda maior no maior colégio eleitoral do Estado, de olho na corrida para a sucessão do governador André Puccinelli (PMDB). Toda a negociação para concretizar a indicação do suplente do senador foi conduzida por petistas próximos do pré-candidato, que foi um dos principais apoiadores de Bernal nas eleições do ano passado.

Com Chaves na Secretaria de Governo, principal pasta da administração municipal e responsável pelas “negociações” políticas, Delcídio tenta recuperar a imagem do próprio Bernal, já que avalizou a candidatura do progressista ano passado.

O constante desgaste enfrentado por Bernal já reflete na candidatura de Delcídio em Campo Grande, maior colégio eleitoral de MS, onde o principal adversário, Nelson Trad Filho, pré-candidato ao Governo pelo PMDB, é mais forte e deixou a cidade com bons índices de aprovação.

Neste quadro, uma possível cassação de Bernal poder ser desastrosa para Delcídio, que poderia perder capital político em Campo Grande. O senador, com apoio da estafe petista, deu a “última cartada” indicando Pedro Chaves para a principal secretaria da Prefeitura.

Chaves é suplente de Delcídio e também tem interesse na eleição do petista para o Governo, já que isso lhe garante o mandato de senador por quatro anos sem passar pelo teste das urnas.

De forma imediata, a nomeação garante que o PT ainda caminha ao lado de Bernal, e ainda agrega mais um vereador para a base aliada: Juliana Zorzo, do mesmo partido de Chaves.

A própria negociação do nome de Pedro Chaves mostra o “dedo” de Delcídio. Dois dos principais nomes nas tratativas, o deputado federal Vander Loubet e o presidente regional Marcus Garcia, ambos do PT, são do grupo de Delcídio dentro da sigla.

Informações de dentro do encontro que “bateu o martelo” no nome de Chaves, realizado na noite desta segunda-feira (4), dão conta de que por diversas vezes Vander fez questão de afirmar que falava em nome de Delcídio, uma forma de lembrar o apoio petista ao progressista.

Vander também teria “lembrado” o prefeito de outros aliados, com ênfase no nome do deputado federal Reinaldo Azambuja, que levou o PSDB a apoiar Bernal ano passado.

Com pressão dos aliados, o agora secretário de Governo, Pedro Chaves, já anunciou que como primeiro ato vai criar um Conselho Político para Bernal, outra exigência petista.

A ligação entre Delcídio e Bernal não pode ser deixada de lado no próximo pleito eleitoral. Depois de aparecer inclusive na campanha de TV do progressista no segundo turno das eleições 2010, Delcídio acabou avalizando a eleição de Bernal, e agora depende de um sucesso do prefeito para manter o favoritismo em 2014.

No entanto, a tarefa não será fácil. Bernal ainda corre risco de ser afastado pela Justiça e enfrenta uma Comissão Processante na Câmara Municipal, que pode lhe cassar o mandato até dezembro.

Pedro Chaves é empresário, e dono da Escola Mace, em Campo Grande. Ele também se destacou por ter sido dono da Uniderp, vendida em negociação milionária para o Grupo Anhanguera. Chaves foi interventor na Santa Casa da Capital.

Nos siga no Google Notícias