A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

29/01/2012 11:24

Temporal que aconteceu quinta-feira pode ser exemplo para obras no País, afirma deputado

Wendell Reis
Deputado vai levar problemas com cálculos de obras para o Congresso Federal (Foto:Wendell Reis)Deputado vai levar problemas com cálculos de obras para o Congresso Federal (Foto:Wendell Reis)

O deputado federal Edson Giroto (PMDB), a pedido do governador André Puccinelli (PMDB),vai levar o debate sobre os cálculos de obras para o Congresso Federal. A decisão é baseada na grande chuva que caiu em Campo Grande na quinta-feira (26), surpreendendo a todos e destruindo obras que seriam inauguradas.

Na opinião de Giroto, é preciso reavaliar os cálculos do sistema de drenagem, para evitar problemas. Giroto vai apresentar a discussão na Câmara Federal, para que o cuidado seja estendido para as obras em todo o País. Giroto pretende criar uma frente parlamentar na Comissão de Ação e Transporte para discutir o problema, principalmente com relação à drenagem.

O deputado revela que para se fazer uma obra o engenheiro se baseia na chuva dos últimos 100 anos. Porém, nos últimos tempos, a concentração e volume de chuva estão se tornando anormal, sendo necessária uma mudança de cálculo para evitar que as pessoas sejam surpreendidas. Segundo o deputado, não há registros históricos de chuvas tão intensas em pouco tempo em Campo Grande.

O deputado avalia que a partir de agora será preciso trabalhar com medo, aumentando a dimensão das obras, o que, consequentemente, vai encarecer os projetos. Giroto também deve regionalizar a questão e abrir um debate no Estado com a Associação de Engenheiros e CREA (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura).

Sobre a forte chuva que caiu em Campo Grande, estragando obras que seriam inauguradas ontem (28), o deputado compara ao temporal que caiu recentemente no Rio de Janeiro e matou diversas pessoas, com a diferença de que no Rio de Janeiro houve mortes de pessoas e não apenas danos materiais, como em Campo Grande.

Giroto aproveitou a oportunidade para defender o prefeito Nelson Trad Filho e criticar quem aproveita momentos como este para tirar proveito político, sem levar em conta que o problema é muito mais grave e ocasionado pelas diversas intervenções na natureza.

Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi 'ótimo' para ganhar votos
O presidente Michel Temer procurou mostrar otimismo ao falar sobre a reforma da Previdência ao dar posse ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) c...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...


DEVEREMOS OBSERVAR TODOS ESSES COMENTÁRIOS SIM POIS ISSO É DEMOCRACIA, POREM O NOSSO FUTURO PREFEITO EDSON GIROTTO, SABE COMO NINGUEM ADMINISTRAR OBRAS E GOSTA DO QUE FAZ, ALIAS DEVERIA SER SEMPRE ASSIM VC FAZER ALGO QUERENDO FAZER APOSTO NO GIROTTO COMO APOSTEI SEMPRE NO ANDRÉ E NO NENSINHO TAMBÉM, E NÓS O POVO AS VEZES ENFATIZAMOS MAIS AS COISAS QUE ACONTECEM DE RUIM E NOS ESQUECEMOS DAS BOAS.
 
EDER DE OLIVEIRA CHAVES em 31/01/2012 11:37:41
O único de exemplo que se leva de Campo Grande é, como fazer obras que serão refeitas em breve. Toda c.r.i.a.n.ç.a. sabe que as chuvas de verão por aqui sempre foram e serão desta forma. L.a.m.e.n.t.á.v.e.l.!
 
Jota Campo em 30/01/2012 07:48:00
Parabéns ao C.gde news,esta discussão precisa se estender por todo o MS,porém de forma Técnica,este cidadão,entrevistado é do ramo,tem conhecimento técnico,conhece a Capital palmo a palmo,e o interior também.
 
Aloisio Guirra em 29/01/2012 12:56:31
Na verdade o temporal não serve de exemplo, o que serve de exemplo é o tipo de obra efetuada e que não deve ser feito. Qualquer um que ver, percebe que aquele tipo de obra não serviria para conter grandes quantidades de água. Ou se repensa as obras que estão fazendo, ou os moradores e comerciantes das Avenidas que margeiam os córregos, verão seus imóveis sendo alagados, e pior depreciados dia adia
 
valter oliveira em 29/01/2012 12:27:45
Chuvas fortes sempre existiram e irão existir.O problema é que deixaram para fazer as obras durante o período de chuvas e ainda sem falar nos estragos do ano passado q. nem foram iniciados os reparos.Exemplo disso está na av.Ernesto Geisel.Falta responsabilidade dos nossos governantes!!!
 
Dilamar A. Lopes em 29/01/2012 10:10:32
gostaria de fazer sugestão ao nobre Deputado,que também reivindique e pressione com as demais figuras públicas do nosso Estado, a urgente Divisão dos Royalties e Pré Sal,antes que desabe uma nova Temporada de tempestades daquelas figuras do Rio de Janeiro"; Sabe o que é? é que acabo de assistir noticia que prenderam o FB;Não que no RJ não tenha pessoas boas, claro que tem; esse (FB) virá??
 
Anderson Roque em 29/01/2012 09:54:23
o dep giroto sem sombra de duvida e o mais preparado para assumir a prefeitura de campo grande, c acontecer de outro ocupar essa vaga será com certeza um retrosseço catastrófico.
 
giovani nunes caldeira em 29/01/2012 07:24:43
É uma ótima ideia levar esses cálculos para quem realmente entende e aprender a executar obras como elas realmente devem ser feitas: com segurança, qualidade, durabilidade, agilidade e o mais importante a um custo correto.
 
Eder Gonçalves em 29/01/2012 05:23:04
Essa iniciativa do Governo será muito boa, pois Campo Grande não esta livre de outros acontecimentos catastróficos e até mesmo outras regiões do estado, precisamos de alguém para levar nossos problemas ate Brasilia e o Girotto é a pessoa certa para fazer isso, pois conhece todas as necessidades da nossa cidade.
 
Caio macedo em 29/01/2012 02:59:48
O que esse senhor diz, qualquer leigo no assunto já presupõe. Pelo visto conhece pouco do assunto, afinal o grupo a qual pertence está ha muito tempo no comando e até agora nada resolveram. Assim, vamos de mal a pior... a pior !!
 
Diógenes Martins em 29/01/2012 02:51:23
Ainda bem que ontem nada disse em vão:
"O grande "lance" do governante é pensar o inusitado, porque, o trivial, pensamos nós, pobres mortais! Num outro português (acho que, por óbvio, ele não vai entender!), nós achamos que as obras devem ser suficientes para as "as chuvas de verão": o governante, por sua vez, tem de pensar no "dilúvio"!

José Robson em 28 de janeiro de 2012 - sábado às 13:4
 
José Robson em 29/01/2012 02:12:55

.Como exemplo são outras obras em administrações anteriores que resistem ao tempo . Porquê será que essas obras começam a se deteriorar até mesmo antes de estarem prontas? . Acho que essa é a principal pergunta com relação as obras feitas em CG. Porque chuvas e temporais sempre existiram aqui e em qualquer outro lugar..
 
mozart monteiro em 29/01/2012 01:56:11
O eng. Giroto é o mais bem preparado para assumir a Prefeitura. Saberá enfrentar qualquer problema que surgir.
 
Juarez Goncalves em 29/01/2012 01:01:16
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions