ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 24º

Política

Com apoio de outras siglas, PP indica Gerson Claro à presidência da Assembleia

Nome do deputado foi apresentado em reunião ao governador eleito Eduardo Riedel (PSDB)

Jhefferson Gamarra | 19/12/2022 15:01
Reunião da executiva do partido com o governador eleito, Eduardo Riedel (Foto: Divulgação)
Reunião da executiva do partido com o governador eleito, Eduardo Riedel (Foto: Divulgação)

A executiva estadual do PP anunciou nesta segunda-feira (19) a escolha do deputado reeleito Gerson Claro, atual presidente da CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), para ser o candidato do partido à presidência da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do sul.

O consenso da sigla foi apresentado em reunião ao governador eleito Eduardo Riedel (PSDB). A indicação teve o aval da atual deputada federal e senadora eleita Tereza Cristina, do deputado estadual e vice-governador eleito José Carlos Barbosa, o Barbosinha, do deputado federal reeleito Luiz Ovando, do deputado estadual Londres Machado e do secretário-geral do Progressistas Marco Aurélio Santullo.

“Sentamos hoje com o Riedel para apresentar quadros para sua administração e sobre a nossa escolha para presidência da Assembleia. Ter um partido dialogando com consenso mostra como o Progressistas está forte e unido para trabalhar por Mato Grosso do Sul”, referendou Tereza Cristina.

Conforme apurado pela reportagem, parlamentares de outros partidos, que irão compor a próxima legislatura, também declaram apoio à candidatura do deputado progressista. Entre eles estão: Renato Câmara (MDB); Pedro Kemp (PT); Coronel David (PL) e Pedrossian Neto (PSD).

Na reunião, Eduardo Riedel lembrou que essa escolha passa pelos 24 deputados estaduais eleitos e destacou que o partido, que foi aliado em sua eleição, dará grande contribuição a sua gestão.

A eleição da mesa diretora acontecerá em 1º de fevereiro de 2023, feita por votação aberta e nominal. O futuro presidente da Casa de Leis cumprirá mandato de dois anos com possibilidade de reeleição.

Nos siga no Google Notícias