A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 19 de Agosto de 2017

08/03/2014 11:15

Com carreira similar à do pai, Ramez, Simone também pode governar MS

Josemil Arruda
Simone admite que pode assumir governo, mas não descarta ser suplente de André (Foto: arquivo)Simone admite que pode assumir governo, mas não descarta ser suplente de André (Foto: arquivo)

A vice-governadora Simone Tebet (PMDB) pode assumir o governo do Estado num mandato tampão semelhante ao de seu pai, ex-senador Ramez Tebet, caso o governador André Puccinelli (PMDB) realmente seja candidato a senador. Neste sábado (8), ela admitiu essa possibilidade, embora tenha deixado claro que ainda não tomou uma posição definitiva, até porque não acredita que André vá renunciar ao governo por uma disputa pela vaga do Senado.

“Minha vida até agora, claro que em menor escala, tem sido similar à do meu pai, que foi grande nome não só de Mato Grosso do Sul, mas do País. Não tenho pretensão de me igualar ao meu pai, mas nossa vida pública é muito próxima. Fiz Direito na mesma universidade que ele no Rio de Janeiro, inclusive no mesmo prédio e tendo professores que foram colegas dele de faculdade. Fui prefeita de Três Lagoas igual a ele, assim como deputada estadual e agora vice-governadora. É tudo muito parecido”, comparou Simone Tebet.

Apesar das semelhanças na trajetória política, Simone garante que tudo não passa de mera coincidência. “Eu não persegui isso. Não tenho essa vaidade de seguir a trajetória do meu pai. Sou uma pessoa que trabalho pelo que acredito”, assegurou a vice-governadora, que agora pode estar prestes a se tornar governadora durante nove meses por obra do destino, assim como aconteceu com seu pai, Ramez, que faleceu no final de 2006, logo após a eleição de Puccinelli para o primeiro mandato na condução do Estado.

Se dizendo uma política que cumpre missões de seu partido, o PMDB, Simone Tebet afirma que não tem projeto pessoal. “Tenho projeto ideológico. O meu partido de centro-esquerda e luta pelo desenvolvimento, buscando avanço social. Minha convicção é a de administrar para as pessoas”, sustentou.

Embora não esconda o desejo de governar o Estado, Simone disse que teria de fazer uma avaliação antes de se decidir, até porque também há especulações sobre ser primeira suplente de Puccinelli caso ele seja candidato a senador. “Não tenho dificuldade nenhuma também em ser suplente. Acredito no governador André. É o homem público mais preparado, com respeito a todos os demais”, ponderou a peemedebista.

André no governo – Para Simone Tebet, o governador André Puccinelli vai exercer seu mandato de governador até o final do prazo, em 31 de dezembro de 2014. Lembrou que recentemente chegou a falar, em entrevista ao jornal Correio do Estado, sobre a candidatura de André ao Senado, mas foi desmentida pelo próprio governador.

“Ele me deu um puxão orelha. Me disse que não é para falar sobre isso. E me avisou que iria me desmentir e fez isso no dia seguinte”, admitiu a vice-governadora. “Você é a candidata para o Senado”, teria afirmado o governador durante essa conversa, segundo a vice-governadora.

Para demonstrar que tem realmente a crença de que André não será candidato, Simone observou que esteve durante o período de carnaval “fazendo política” em vários municípios do Bolsão. “Não tem 10 dias, ele disse para mim e o presidente regional do PMDB, Júnior Mochi, que não é candidato e eu fui para o interior começar mexer na minha candidatura”, declarou.

‘Simone assume e disputa a reeleição?’
SAIA JUSTA? A renúncia do ex-governador Azeredo inibirá o discurso de indignação do PSDB na campanha? Alckmin já saiu pela tangente dizendo que se tr...
Juiz Sérgio Moro nega suspensão de segundo interrogatório de Lula
O juiz federal Sérgio Moro negou nesta sexta-feira, 18, o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para adiar seu interrogatório m...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions