A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Agosto de 2017

28/03/2014 17:26

Com convênio, Olarte destrava repasse de R$ 750 mil à Santa Casa

Josemil Arruda
Gilmar Olarte assinado convênio para beneficiar a Santa Casa (Foto: Marcio Feliciano)Gilmar Olarte assinado convênio para beneficiar a Santa Casa (Foto: Marcio Feliciano)

Saiu, publicado nesta sexta-feira (28) no Diário Oficial de Campo Grande o extrato do termo aditivo ao Convênio nº 521-A, de 29 de novembro de 2004, entre a Prefeitura e a Santa Casa, que destravou o repasse de verbas federais e estaduais para o hospital. Com a suplementação orçamentária ao convênio, a Prefeitura vai repassar mensalmente R$ 750 mil para a Santa Casa.

Conforme o extrato do termo aditivo, o valor global do convênio ficou acrescido em parcela única de R$ 629.361,25. De acordo com o documento, há o acréscimo ao valor anual de R$ 1.477.980,00, que “será repassado mensalmente no valor de R$ 123.165,00 a partir da competência de dezembro de 2013 e R$ 9.000.000,00, que será repassado mensalmente no valor de R$ 750.000,00 a partir da competência de janeiro de 2014”.

Ao assinar o convênio de R$ 750 mil mensais para a Santa Casa de Campo Grande, ontem, o prefeito Gilmar Olarte (PP) destacou que a disposição de ajudar o maior hospital do Mato Grosso do Sul era “por amor ao ser humano”. Tratou-se, segundo ele, de uma demonstração que não vai medir esforços para melhorar a qualidade dos serviços da saúde em Campo Grande.

A Santa Casa não recebia recursos da Prefeitura de Campo Grande há mais de três meses, segundo o prefeito. A relação da Santa Casa com a gestão anterior, de Alcides Bernal, era difícil. Até mesmo reunião com Bernal levou mais de nove meses para acontecer, desde o fim da intervenção.

Mudança positiva – O presidente da Santa Casa, Wilson Teslenco, destacou como um “avanço positivo” o aditivo de convênio assinado ontem com o prefeito Gilmar Olarte. . “Antes nós não conseguíamos desenroscar os recursos”, afirmou ele, referindo-se à gestão Bernal.

Teslenco informou, contudo, que “100% dos recursos que constam do aditivo assinado ontem são do Estado ou da União”. Especificamente em relação aos R$ 750 mil por mês, conforme o dirigente, se trata de verba do Estado. Segundo ele, a prefeitura ainda não está dando nada do próprio bolso.

Na semana que vem, uma equipe da Santa Casa vai estar com o secretário municipal de Saúde, Jamal Salém, para discutir o contrato de 2014, no que tange aos repasses da própria prefeitura. “Vai ser colocada a necessidade de ampliação de recursos. Nós precisamos ampliar em R$ 3 milhões”, revelou Teslenco. Hoje, segundo ele, a Santa Casa recebe R$ 15,2 milhões da Prefeitura de Campo Grande e reivindica que esse valor suba para R$ 18,2 milhões.

Teslenco está otimista quanto ao aumento de verba da prefeitura para a Santa Casa. “Penso que nós vamos chegar a um bom termo nessa direção”, declarou. A reunião com Jamal deve acontecer na quinta ou sexta-feira da semana que vem.

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions