ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 23º

Política

Com eleição sub judice, vereadores assumem cidades “sem prefeito”

Os mais votados para prefeito dependem do TSE para assumirem em Angélica, Bandeirantes, Sidrolândia e Paranhos

Por Aline dos Santos | 01/01/2021 17:35
Câmara de Bandeirantes empossou Edervan Gustavo Sprotte  (no centro) como prefeito interino. (Foto: Reprodução)
Câmara de Bandeirantes empossou Edervan Gustavo Sprotte  (no centro) como prefeito interino. (Foto: Reprodução)

Com o resultado das eleições para prefeito sub judice, quatro cidades de Mato Grosso do Sul empossaram vereadores neste dia primeiro para comandar o Poder Executivo: Angélica, Bandeirantes, Sidrolândia e Paranhos.

Nos quatro municípios, os mais votados para prefeito dependem de decisão da Justiça Eleitoral para assumirem. Em caso negativo, serão convocadas novas eleições. Neste cenário, os vereadores tomaram posse, elegeram os presidentes das respectivas Casa de Leis, que, na sequência,  empossaram os interinos.

Em Angélica, apenas uma chapa pleiteou o comando da Câmara Municipal. De acordo com o Portal Angélica, o vereador Aparecido Geraldo Rodrigues (PSDB), o Boquinha, foi eleito presidente e empossado prefeito. O mandato tampão vale enquanto o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) não decide o destino de João Cassuci (PDT).

Ex-prefeito, Cassuci foi o mais votado para comandar Angélica, mas foi barrado pela Lei da Ficha Limpa. O político encontra-se inelegível após condenação por prática de crime contra o sistema financeiro nacional. No processo, ficou comprovada a obtenção ilegal de financiamentos do Pronaf (Programa Nacional de Agricultura Familiar) mediante fraude e cadastros falsos.

Posse dos vereadores na Câmara de Angélica nesta sexta-feira. (Foto: Portal Angélica)
Posse dos vereadores na Câmara de Angélica nesta sexta-feira. (Foto: Portal Angélica)

Em Bandeirantes, a 70 km de Campo Grande, a maioria do eleitorado optou por Álvaro Urt (DEM) na corrida pela prefeitura. Urt foi alvo de operação do Ministério Público, teve bens bloqueados e ainda foi cassado do cargo de prefeito pela Câmara Municipal.

Com o resultado da eleição ainda sub judice, o vereador Edervan Gustavo Sprotte (DEM) foi eleito presidente da Casa de Leis, liderando a chapa União e Renovação. Na sequência, durante sessão nesta sexta-feira, foi empossado prefeito interino.

No município de Paranhos, na fronteira com o Paraguai, Heliomar Klabunde (MDB) foi o mais votado na corrida pela prefeitura. Mas, o resultado segue sub judice por problema no registro da candidatura. Sem prefeito, a cidade seguiu a regra de empossar o presidente da Câmara, dando posse a Donizete Aparecio Viario na condição de interino.

Vanda Camilo venceu disputa pela presidência da Câmara e assumiu prefeitura de Sidroândia. (Foto: Rafael Brites/Região News)
Vanda Camilo venceu disputa pela presidência da Câmara e assumiu prefeitura de Sidroândia. (Foto: Rafael Brites/Região News)

Vereadora mais votada nas urnas, Vanda Cristina Camilo (PP) venceu hoje a disputa pela presidência da Câmara Municipal de Sidrolândia e, como o resultado da disputa para a prefeitura está sub judice, se tornou a primeira mulher a assumir o Poder Executivo.

No município de 59.245 habitantes, o mais votado para prefeito na eleição de 15 de novembro foi Daltro Fiúza (MDB), mas ele foi barrado pela Lei da Ficha Limpa e aguarda julgamento de recurso no TSE.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário