A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

30/01/2009 10:08

Compra de mina pela Vale legaliza extração, diz Delcídio

Redação

O senador Delcídio do Amaral (PT/MS) disse que a compra da Rio Tinto pela empresa de capital nacional Vale do Rio Doce põe fim às discussões sobre a legalidade de extração de minério na região de fronteira.

"Essa compra põe fim a um entrave nos projetos de agregação de valor ao minério de ferro e certamente vai contribuir e muito com o processo de industrialização de Corumbá e com a diversificação da economia de Mato Grosso do Sul, gerando empregos num momento em que todo o Estado e o Brasil acompanham com preocupação a crise financeira internacional", declarou o senador.

Ele foi informado nesta manhã sobre a transação, pela própria direção da Vale. O grupo está comprando a mina de minério de ferro de Corumbá, que era explorada pela mineradora anglo-australiana Rio Tinto, por US$ 750 milhões. Em toda a operação de compra da Rio Tinto, que inclui ainda uma mina de potássio em Mendoza, na Argentina, a Vale investirá US$ 1,6 bilhão.

A direção da Vale, maior produtora mundial de minério de ferro, confirmou que a compra dos ativos de minério da Rio Tinto inclui todas as operações de mineração a céu aberto de Corumbá e os ativos de logística, incluindo porto fluvial e barcaças. A mina corumbaense produziu 2 milhões de toneladas métricas de minério de ferro em 2008 e possui capacidade nominal para produzir 2,5 milhões de toneladas métricas por ano.

"A proposta da Vale é ampliar o volume de extração de minério em Corumbá, e não tenho dúvida de que, com essas operações agora nas mãos da Vale, definitivamente serão criadas as condições necessárias para a implantação de indústrias de transformação com projetos consistentes de empresas interessadas em se instalar nessa região. Com isso, ganha não apenas Corumbá e Ladário, mas todo o Estado de Mato Grosso do Sul", comemorou Delcídio.

O senador prevê ainda que a compra da mina de potássio em Mendoza, na Argentina, pela Vale, também irá impactar de maneira positiva no agronegócio em Mato Grosso do Sul e no Brasil.

"Essa compra dos ativos de potássio pela Vale certamente será importante para aumentar a produtividade das safras no Brasil, considerando que ultimamente importamos 70% do fertilizante usado na nossa produção agrícola. Essa dependência de insumos que vem de fora cria uma vulnerabilidade para a agricultura brasileira. Há uma deficiência de insumos que coloca em risco a competitividade dos nossos produtos. Por isso estou convencido de que, também esse investimento da Vale trará grandes benefícios ao agronegócio em Mato Grosso do Sul, assim como para todo o Brasil", declarou Delcídio.

Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi 'ótimo' para ganhar votos
O presidente Michel Temer procurou mostrar otimismo ao falar sobre a reforma da Previdência ao dar posse ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) c...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...
TRE realiza plantão para cadastramento biométrico neste sábado na Capital
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) realiza neste sábado mais um plantão para atender eleitores de Campo Grande que ainda nã...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions