A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

20/03/2016 08:21

CPI do Genocídio vai ouvir professor e indígena na segunda-feira

Colegiado apura se houve omissão do Estado em casos de violência contra índios

Mayara Bueno
Assembleia Legislativa de MS. (Foto: ALMS)Assembleia Legislativa de MS. (Foto: ALMS)

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga casos de violência contra os indígenas de Mato Grosso do SUl faz nova reunião na segunda-feira (21), às 9 horas. Os membros do colegiado vão ouvir o professor da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), Neymar de Soyza e a indígena Valdelice Verón, da Aldeia Taquara, em Juti.

Chamada de CPI do Genocídio, o grupo apura se o Estado agiu ou se omitiu em casos de violência - alguns com mortes durante conflitos agrários - de índios do Estado. Dois indígenas de Tacuru e Paranhos também devem participar da reunião.

No mesmo dia, a partir das 14 horas, a CPI do Cimi (Conselho Missionário Indigenista) vai se reunir, mas ainda não foi divulgado quem vai depor no dia.

Audiência - Nesta semana, a Assembleia promove a audiência pública "Balanço e Perspectiva das Políticas Públicas para as Mulheres de MS". Devem participar representantes do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos. O evento acontecerá na quarta-feira (23), a partir das 13h30.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions