A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Agosto de 2017

31/07/2017 12:14

Deputados de MS dizem que oposição tentará adiar votação sobre Temer

Câmara vai votar aceitação de denúncia contra o presidente Michel Temer na próxima quarta-feira

Leonardo Rocha e Yarima Mecchi
Carlos Marun diz que base está confiante em vitória na votação a favor de Temer (Foto: Antonio Augusto/ Câmara dos Deputados)Carlos Marun diz que base está confiante em vitória na votação a favor de Temer (Foto: Antonio Augusto/ Câmara dos Deputados)

Os deputados de Mato Grosso do Sul - Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Carlos Marun (PMDB) - acreditam que os parlamentares que estão na oposição irão tentar adiar a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB), que está marcada para ocorrer na próxima quarta-feira (2), na Câmara Federal.

De acordo com eles, a estratégia é faltar a sessão, não permitindo assim que haja quórum suficiente para começar a votação. "São necessários 342 deputados no plenário, com registro e divulgação no painel, para que a votação comece, a informação que chegou é que a oposição não estará presente, para que o assunto siga parado", disse Mandetta.

O democrata diz que é justamente esta "queda de braço" que deve encontrar amanhã (01), quando estiver em Brasília, em um confronto de estratégias entre base aliada e oposição. "Eles (oposição) querem manter o assunto parado e vão se articular para isto". Já a base se concentra em consolidar o apoio ao presidente, para votação contra a aceitação da denúncia.

Carlos Marun (PMDB), aliado do presidente, ponderou que a responsabilidade de "ter ou não quórum" é da oposição. "Eles é que querem a saída do presidente, para isto ocorrer precisam ir para votação, mas a base está confiante é vê a vitória neste embate como certa".

Sobre eventual "desgaste" do presidente, caso não haja votação na quarta-feira, Marun alega que "atrapalha mais o País" do que o próprio Governo. "Ficamos todos parados nesta história, mas o que podemos dizer é que neste momento eles (oposição) não têm nem 200 votos".

 

Luiz Henrique Mandetta diz que oposição vai tentar adiar votação (Foto: Agência Câmara)Luiz Henrique Mandetta diz que oposição vai tentar adiar votação (Foto: Agência Câmara)

Votação - Em sessão de amanhã (01) será feita a leitura da votação sobre a denúncia que ocorreu na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), com o devido resultado. Depois é convocada oficialmente nova sessão para quarta-feira (2).

Neste dia se inicia com abertura de espaço para discussões, para depois chegar a fase da votação. São necessários 342 (votos) dos 513 deputados, para que o processo tenha continuidade, se a oposição não tiver os votos suficientes, o presidente só será investigado após deixar o cargo.

O presidente Michel Temer (PMDB) é processado por corrupção passiva. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot atribui crime a Temer a partir do inquérito da Operação Patmos - investigação desencadeada com base nas delações dos executivos do grupo J&F, que controla a JBS.

Bancada - Os deputados de Mato Grosso do Sul estão divididos sobre a denúncia contra Temer. Três parlamentares - Zeca do PT, Vander Loubet (PT) e Dagoberto Nogueira (PDT) - já anunciaram votos a favor da continuidade do processo, enquanto que Carlos Marun (PMDB) e Elizeu Dionízio (PSDB) irão se posicionar contra.

Já Luiz Henrique Mandetta (DEM), Tereza Cristina (PSDB) e Geraldo Resende (PSDB) estão indecisos e dizem que só vão anunciar o voto, na quarta-feira. "Foi um entendimento dentro do partido, de não se posicionar antes, porque estamos na linha sucessória do presidente, com o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ)", explicou o democrata.




Nas próximas eleições vamos nos lembrar disto e não deixar que cada eleitor esqueça desse Marum e outros. Podem ficar tranquilo que a suas aceitações estão igual a de Temer, menor que 5% da população. Podem aproveitar e fazer um pé de meia agora pois desse estado voces não sugam mais nenhuma gota de sangue, seus parasitas.
 
Jose Batista em 31/07/2017 14:42:56
Por que a votação de Dilma foi montada para um domingo e se transformar em espetáculo midiático para o mundo todo e agora com o golpista Temer vão fazer a votação em plena quarta feira?
É ou não é uma descarada manipulação.
A população está de olho nessa bandalheira.
Quanto aos deputados que ainda não decidiram ou estão divididos, é bom que se esclareça que são os golpistas e que mais uma vez estão aguardando uma negociação (ou será negocita?) para levarem mais alguma vantagem.
 
Critico em 31/07/2017 12:51:58
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions