A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

27/04/2013 09:06

Eduardo Campos para presidente, PSB pode ter candidato em MS

Zemil Rocha
Se PSB tiver candidato a governo, Murilo é a principal opção (Foto: Arquivo)Se PSB tiver candidato a governo, Murilo é a principal opção (Foto: Arquivo)

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) começa a se preparar para a possibilidade de disputar o governo do Estado em 2014, em razão da forte tendência de ter que construir “palanque” em Mato Grosso do Sul para seu provável candidato a presidente da República, Eduardo Campos, atual governador de Pernambuco. “A tendência é seguirmos o que for decidido no cenário nacional”, informou o deputado estadual Lauro Davi (PSB), uma das lideranças presentes no encontro estadual socialista, comandado pelo prefeito de Dourados, Murilo Zauith.

No encontro desta manhã, no Auditório da Unigran, que reúne cerca de 100 lideranças socialistas do Estado, o PSB faz a avaliação da conjuntura estadual e nacional. Hoje o PSB tem quatro prefeitos em Mato Grosso do Sul, inclusive o da segunda maior cidade, Dourados, 45 vereadores e um suplente de deputado federal. Além dessas lideranças, também participam do encontro presidentes dos diretórios municipais do PSB.

Segundo Lauro Davi, a tendência natural do PSB no Estado é seguir o mesmo caminho que for definido pela direção nacional do partido. “Se o PSB participar de um arco de alinças nacional aqui também faremos isso. Se tiver candidatura própria a presidente da República também deveremos ter aqui dentro desse arco”, afirmou ele.

Como Murilo teve apoio do senador Delcídio do Amaral em Dourados, onde o PT fez coligação eleitoral com o PSB, uma reciprocidade na eleição do ano que vem, com o petista sendo candidato a governador, tem sido considerada no cenário estadual. Indagado se o PSB teria esse acordo com Delcídio, Lauro Davi respondeu negativamente. “O PSB não tem definição de apoio a A, B ou C”, garantiu.

A articulação nacional é o primeiro passo, conforme Lauro Davi, antes de uma definição no Estado. “Não tem nada fechado para apoiar Delcidio, Nelsinho ou Simone”, insistiu o deputado socialista, referindo-se às possibilidades de candidaturas do PT e PMDB à sucessão do governador André Puccinelli.

Para disputar o governo, Lauro Davi vê no nome de Murilo Zauith, presidente regional do PSB, a principal opção do partido, embora também enxergue potencialidade em todos os cerca de 70 candidatos que os socialistas lançaram nas últimas eleições no Estado. “Murilo tem trajetória política bem mais consolidada, já foi vice-governador, fez campanha como candidato a senador”, argumentou.

Além disso, como o PSB deverá trabalhar para construir um “arco de alianças” que siga os entendimentos acertados em nível nacional, Davi informa que, numa perspectiva de candidatura a governador, o nome pode ser de outro partido integrante da coligação. “O nome não precisa ser necessariamente do PSB”, apontou.

O encontro do PSB começou às 8 horas e prossegue até as 11 horas no Auditório da Unigran, em Campo Grande.

 

 



De fato o PSB é o partido qui deves toma os rumo DO Brasil já qui o PT esta apoiando condenados do mensalão e o PSDB esta fora dos planos brasileiros o nome seto é EDUARDO CAMPOS PARA PRESIDENTES
 
Antonio Claudino em 01/05/2013 20:01:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions