A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

07/02/2012 13:34

Em ano de eleição, Câmara de Campo Grande inicia trabalhos com atraso de 1h

Fernando da Mata

Mesmo com início às 10h, os parlamentares foram chegando aos poucos. No começo da sessão, apenas 11 estavam no plenário.

Plenário às 9h10, dez minutos depois do horário previsto para início da sessão (Foto: Marlon Ganassin)Plenário às 9h10, dez minutos depois do horário previsto para início da sessão (Foto: Marlon Ganassin)

A primeira sessão do ano com votação começou com uma hora de atraso, na manhã desta terça-feira (7), na Câmara de Vereadores de Campo Grande. Mesmo com início dos trabalhos às 10 horas, os parlamentares foram chegando aos poucos. No começo da sessão, apenas 11 estavam no plenário.

Para os vereadores, essa tranquilidade nas sessões da Casa é natural. O representante da oposição, vereador Marcos Alex (PT), afirmou que todos cumprem agenda fora, por isso a situação é tranquila.

“A vida do vereador não é só parlamento. Tem reuniões fora, visita às secretarias e as bases. Geralmente sempre ocorre de coincidir esse tipo de agenda com as sessões”.

Nesse ponto, há consenso entre oposição e base governista. O líder da situação na Câmara, Flávio César (PT do B), argumentou sobre a transitoriedade no plenário.

“O vereador atua no plenário, nos seus gabinetes e nas bases na cidade. Tenho certeza que, sempre em todas as sessões, a maioria está na Casa despachando nos gabinetes e, conforme a importância do momento, vem ao plenário”, justificou o governista.

Trabalhos e eleições - O ano eleitoral não vai atrapalhar os trabalhos do Legislativo municipal. Pelo menos é o que os representantes dos opositores e aliados ao prefeito garantiram em entrevista ao Campo Grande News.

“Vamos continuar o nosso trabalho, sempre fizemos críticas construtivas, de apontamento de falhas, inclusive com apresentação de projetos e apontamento de soluções. Por exemplo, a questão do Lixão, do transporte público, IPTU, que é um dos mais caros do Brasil. A nossa linha não sofrerá qualquer tipo de alteração, não vamos fazer da Câmara um palanque eleitoral”, reforçou Alex do PT.

Ano de trabalho árduo, segundo Flávio César. “Eu classifico esse ano como sendo mais um ano de mandato e não o último. E como em todos os anos, será de muito comprometimento. A base está muito sólida, respeitando também o posicionamento da oposição. Vamos manter o debate em alto nível, sempre buscando trazer respostas aos questionamentos e mantendo harmonia entre Legislativo e Executivo.”

Pauta - Dois projetos entraram na pauta de votações em primeira discussão, nesta terça-feira (7). Um deles visa instituição da política municipal de prevenção a doenças ocupacionais de professores da rede pública de ensino. Dividem a autoria da proposta os vereadores Paulo Siufi (PMDB), Jamal Salém (PR) e Loester Nunes (PMDB).

O outro projeto, do vereador Vanderlei Cabeludo (PMDB), tem o objetivo de tornar obrigatória a divulgação dos nomes de compositores das músicas executadas em Campo Grande.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions