A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

10/03/2009 17:33

Empresários depõem sobre fraude de licitação em Naviraí

Redação

Dois empresários envolvidos em esquema de licitação fraudulenta em Naviraí foram ouvidos por meio de carta precatória em Dourados. Para evitar represálias e exposição negativa da imagem de suas empresas, eles pediram para não ter seus nomes citados na reportagem.

Um deles foi ouvido ontem pela Polícia Civil e o outro há cerca de 15 dias. Os dois são proprietários de empresas que apareceram em 2005 como concorrentes em um processo licitatório para contratação de serviços de publicidade. Mas o detalhe é que os dois empresários não tinham conhecimento de que participaram do processo.

"Nem sei do que se trata, nunca fiz cotação de nada para a prefeitura de Naviraí", afirmou um deles ao Campo Grande News.

O outro empresário disse à reportagem que a prefeitura pediu para sua firma apenas um orçamento informal, mas acabou usando as informações de forma indevida na licitação.

Os dois tiveram os carimbos de suas empresas alterados e suas assinaturas falsificadas, o que teria sido comprovado por meio de exame grafológico.

Na prática, a licitação foi conduzida de forma a beneficiar a empresa A.R. Selem Júnior, de propriedade de Abdul Rahmen Selem.

Na verdade, a partir de denúncias de ex-funcionários da administração municipal, o Ministério Público Estadual apurou que a prefeitura de Naviraí abriu licitação para contratar serviços de publicidade em 2005 e que o certame, vencido por uma empresa de Maringá (PR), foi anulado.

Uma segunda concorrência foi realizada, e desta vez a vencedora foi a A.R. Selem Júnior, cujo proprietário foi chefe de gabinete do ex-prefeito da cidade, Euclides Fabris, falecido em 2004 vítima de câncer.

Ainda segundo o MP, a A.R. Selem Júnior foi criada dois meses antes da licitação, com o intuito exclusivo de participar da concorrência.

Além de Zelmo, são acusados o chefe de Gabinete, Gilberto Pimpinatti, o ex-gerente de Finanças, Nério Vicente de Brida (irmão de Zelmo), o ex-assessor jurídico da prefeitura, Nério de Andrade Brida (sobrinho do prefeito), Abdul Selem Júnior e seu pai e os integrantes da Comissão Permanente de Licitação - Marcos Ricco Santelli, Adilson Nunes Jardim e Ramão Derlan de Souza.

Procurado pela reportagem, o prefeito Zelmo de Brida afirmou que tem conhecimento do caso via imprensa e que espera que os responsáveis sejam localizados pela Polícia.

"Isso aí, sobre as assinaturas fraudadas, é a perícia que vai ver, o culpado vai aparecer, mas isso é a polícia que tem que descobrir. Os caras fazem as coisas e em última instância é o prefeito o responsável, vamos aguardar as investigações", respondeu.

Governo do Estado investe R$ 9,2 milhões em infraestrutura em Caracol
Caracol vai receber mais de R$ 2,8 milhões em obras a serem executadas pelo Governo do Estado em parceria com a prefeitura e deputados federais e est...
Assembleia vota Orçamento de R$ 14,4 bilhões de 2018 na terça-feira
O Orçamento de R$ 14,4 bilhões do Governo de Mato Grosso do Sul para 2018 passará pela votação em segunda discussão na terça-feira (19) na Assembleia...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions