A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

31/01/2014 14:18

Ex-dono do shopping diz que área de 4.465 m² do decreto é só do terreno

Josemil Arruda, Edivaldo Bitencourt e Francisco Júnior
TJMS está pagando R$ 38,8 milhões pelo prédio do Shopping 26 de Agosto (Foto: Cleber Gellio)TJMS está pagando R$ 38,8 milhões pelo prédio do Shopping 26 de Agosto (Foto: Cleber Gellio)

O ex-dono do Shopping 26 de Agosto, Rubens Salim Saad, garante que a área de 4.465 metros quadrados, que consta no Decreto do Governo do Estado, é apenas do terreno do empreendimento. Segundo ele, a área construída é maior, constando do registro imobiliário e na Prefeitura de Campo Grande 13.381 m². “No decreto o governo só considerou o terreno e não a construção, que é acessória”, apontou.

Em entrevista ao Campo Grande News, Rubens Saad apontou uma área maior do Shopping 26 de Agosto, de quase 18 mil metros quadrados. “Não foi levado em consideração a laje de cima, que é um estacionamento, por não ter cobertura. Se fosse somado, seriam mais 4.465 m², totalizando 18 mil m²”, afirmou ele.  

A avaliação do valor do imóvel, segundo Saad, foi feito tanto por peritos particulares quanto oficiais. “Foi realizada por peritos particulares, peritos da Secretaria de Obras do Governo do Estado e peritos indicados pelo CREA-MS”, apontou, reafirmando que a área do empreendimento é de 13.381 m², pois o terreno conta com a área construída de sub-solo, térreo e primeiro pavimento (mais uma laje preparada para possíveis novos pavimentos). Na laje, conforme o ex-proprietário, só são cobertas as escadas de fuga e os dois elevadores.

No decreto, de 16 de dezembro do ano passado, assinado pelo governador André Puccinelli (PMDB), a área desapropriada é de 4.465 metros quadrados. No entanto, há uma ressalva de que "as benfeitorias" também estão incluídas. 

Considerando-se a área mencionada no decreto, o valor do metro quadrado pago pelo Shopping 26 de Agosto seria de R$ 8.705,00, mais que o dobro do valor de mercado da área, de R$ 3.836, conforme cálculo da CVI (Câmara de Valores Imobiliários). O Tribunal de Justiça pagou R$ 38,870 milhões pelo imóvel, que poderia valer apenas R$ 17,1 milhões. 

Saad, no entanto, rebate o cálculo divulgado ontem pelo Campo Grande News. Ele disse que o cálculo considerando toda a área construída, de 13.381 m² registrado na Prefeitura de Campo Grande e no 2º Cartório de Circunscrição Imobiliária, o valor do complexo seria de R$ 68 milhões. “Tomei um pau de R$ 30 milhões”, garante o empresário. Admitiu, porém, que o valor de mercado é de R$ 47 milhões, sem contar o estacionamento da laje.

O Tribunal de Justiça do Estado (TJMS) está pagando R$ 38,87 milhões pelo prédio do antigo Shopping 26 de Agosto, a fim de abrir ali juizados especiais. Além do alto valor de aquisição, via desapropriação pelo governo do Estado, o TJMS terá de fazer uma ampla reforma para adaptar o prédio ao trabalho realizado por juízes e servidores. 



tanto imovel mais barato pra desapropriar e tinha q ser logo esse, pq será heim... sera q é pq ta novo!? isso tudo nao passa de uma roubalheira, uma mão lava a outra...e por ai vai, só o povo q se ferra mesmo!
 
roberto bezerra de meneses jr em 31/01/2014 19:21:05
Justiça? Fecha logo esse comercio. Isso parece mais uma Loja
 
Jose Silvestre em 31/01/2014 19:11:16
Ei Governador! vai aqui uma sugestão: essa tal "Justiça Estadual" há tempos não se pratica "justiça"...está mais preocupada com suas festas e jantares, diga se de passagem, custeadas com os recursos do povo. Então investe esse dinheiro nos problemas básicos para melhorar a vida de seu povo, comece, por exemplo, aplicando esse dinheiro no hospital do trauma da capital, nos pelotões da PM e Delegacias de Polícia Civil que estão caindo aos pedaços. Faça "justiça" com meu dinheiro, foi para isso que o senhor foi eleito.
 
Maikon Dias Miranda em 31/01/2014 17:32:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions