ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUINTA  27    CAMPO GRANDE 26º

Política

Filiada denuncia tentativa de estupro no diretório estadual do PT

O caso teria ocorrido em um sala do imóvel durante congresso da juventude do partido

Por Flávio Veras | 04/12/2021 16:44
Segundo o PT, o caso foi registrado na Polícia CIvil (Foto: Divulgação)
Segundo o PT, o caso foi registrado na Polícia CIvil (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul irá investigar uma denuncia de tentativa de estupro que teria ocorrido no último sábado (27), dentro do diretório estadual do PT, em Campo Grande.

De acordo com informações apuradas pelo Campo Grande News, o crime teria ocorrido durante uma confraternização dos integrantes do partido contra uma jovem filiada.

A festa ocorreu durante um congresso da juventude petista. A vítima, que estaria embriagada, teria sido levada por um homem para uma das salas do local e tentou abusar dela.

O crime teria sido interrompido por outros participantes do evento. A reportagem tentou contato com a vítima, porém ela não foi encontrada. Em nota, a direção do partido se pronunciou.

A legenda também pediu sensibilidade dos veículos de imprensa ao relatar o caso.

Posição do Partido - De acordo com o texto - assinado pelo presidente estadual da legenda Vladimir Ferreira -, o partido declarou que diante do fato tem prestado todo apoio jurídico, psicológico e emocional à vítima.

“No entanto, diante do pedido da própria vítima, temos atuado de maneira discreta para preservá-la, principalmente emocionalmente. Já é bem conhecido que, em casos de violência contra a mulher, a tendência é que tentem culpabilizar a própria vítima ou minimizar o acontecido, disse.

E complementou a nota dizendo que “partidos políticos não são uma bolha isolada da sociedade e esse tipo de comportamento reproduzido dentro do partido deve ser repudiado e encaminhado à justiça. O caso foi levado à Polícia Civil pelo coletivo feminino do partido e a equipe prestará todo apoio psicológico à jovem.”

Outro lado - Por meio de carta ao PT, o acusado justificou que o ato está sendo tratado politicamente e foi denunciado por uma amiga próxima da vítima apenas por terem a ideologia política oposta.

"Em nenhum momento tive a intenção ou tentei ser desrespeitoso, mas ela vendo alguma atitude minha, peço sinceras desculpas. Apenas fiquei com ela, um beijo, nada mais. Estávamos bebendo e ela próxima a mim, nós brincando, uma atitude mais de amizade que qualquer outra intenção. Ela sorriu, disse que depois iríamos, depois a chamei novamente e fomos, subimos até uma sala e ali nos beijamos e em seguida ela quis descer e tudo tranquilo", disse o suposto agressor.

"Esse fato acima descreve minha ação e ato, o companheiro subiu até o andar de cima e nos viu ficando. Coisa de minutos. Hoje, recebi várias mensagens de uma amiga me acusando de assédio, dizendo coisas que não sou e falando de crime, isso se dá mais por diferenças políticas que tenho com ela e por ela não estar desempenhando atividades no DCE/UEMS", concluiu o suspeito.

Nota na íntegra:

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário