ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, TERÇA  13    CAMPO GRANDE 30º

Política

Governador deve anunciar amanhã medidas restritivas contra a covid

Secretário Eduardo Riedel confirmou que medidas serão anunciadas nesta terça-feira em live pelo governador

Por Paula Maciulevicius Brasil e Clayton Neves | 08/03/2021 12:05
Secretário de Infraestrutura, Eduardo Ridel esteve em reunião na Assomasul na manhã de hoje com o presidente da entidade, Valdir Couto de Souza Júnior e o secretário de Governo Sérgio Murilo. (Foto: Edemir Rodrigues)
Secretário de Infraestrutura, Eduardo Ridel esteve em reunião na Assomasul na manhã de hoje com o presidente da entidade, Valdir Couto de Souza Júnior e o secretário de Governo Sérgio Murilo. (Foto: Edemir Rodrigues)

Depois de Campo Grande e Dourados baterem recorde de internações de covid e estarem com 100% das UTI's lotadas neste início de semana, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) deve anunciar medidas mais restritivas na tentativa de conter a pandemia nesta terça-feira (8). A informação foi repassada pelo secretário de Infraestrutura do Estado, Eduardo Riedel durante reunião entre prefeitos de Mato Grosso do Sul na Assomasul.

"O governador está hoje decidindo que medidas vai aderir. Tudo será baseado na indicação da ciência e naquilo que a Secretária de Saúde e todos os técnicos recomendarem", garantiu Riedel.

O anúncio será em transmissão ao vivo pela página do Governo do Estado no Facebook.

Transmissão ao vivo com governador Reinaldo Azambuja está prevista para esta terça-feira. (Foto: Reprodução/Governo do Estado)
Transmissão ao vivo com governador Reinaldo Azambuja está prevista para esta terça-feira. (Foto: Reprodução/Governo do Estado)

Ainda segundo o secretário, em função do momento vivido, de leitos ocupados e falta de vacina, as medidas restritivas devem ser adotadas, mas isso ainda será conversado com os setores. "Para que a gente não erre e que tudo tenha equilíbrio", comentou Riedel.

Nesta segunda-feira (8), Mato Grosso do Sul bateu o recorde de internações em um ano de pandemia. No total, são 724 pessoas hospitalizadas. A pior situação, segundo boletim divulgado hoje, ocorre em Dourados, que tem oficialmente "101%" de lotação, o que significa procura 1% maior que a disponibilidade de vagas.

Campo Grande também não tem vagas de leito em UTI e está, na visão da secretaria estadual de Saúde, prestes a colapsar. Além da lotação nas UTI's e de lentidão na vacinação, o Brasil sofre com a chegada de variantes. Em Mato Grosso do Sul, há apenas uma confirmação, de um paciente de Corumbá, mas existem outros 40 exames em análises, destes 22 já foram pré-confirmados.

O boletim atualizado na secretaria estadual traz 652 infectados e outro número alto de mortes: 25 óbitos por covid-19 em Mato Grosso do Sul.

Medidas - Na Capital, o prefeito Marquinhs Trad (PSD) anunciou como medida contra a covid-19 o aumento do número de ônibus no transporte público, em especial nos horários de pico, além de barreiras sanitárias com aferição de temperatura, realização de teste rápido e distribuição de máscaras nas cinco entradas de Campo Grande. Terminais rodoviários e de transporte público, além das feiras livres, também voltam a receber desinfecção.

Segundo o boletim desta segunda-feira (8), o Estado teve 652 infectados e 25 óbitos por covid-19. As vítimas são de Campo Grande (8), Dourados (4), Naviraí (3), Corumbá (3), Ponta Porã (2), Aquidauana, Sidrolândia, Costa Rica, Coxim e Rochedo. No geral, os pacientes que não resistiram tinham entre 94 e 45 anos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário