A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Agosto de 2017

06/02/2014 12:47

Governo irá deixar que deputados reapresentem emendas que não foram pagas

Leonardo Rocha
Mochi ressaltou que governo irá dar segunda chance para deputados reapresentarem emendas não pagas (Foto: Divulgação)Mochi ressaltou que governo irá dar segunda chance para deputados reapresentarem emendas não pagas (Foto: Divulgação)

O líder do governo, o deputado Junior Mochi (PMDB), afirmou que o executivo irá permitir que os deputados reapresentem as emendas que não forma pagas, por falta de documento ou inadimplência, para que o recurso não seja perdido. O prazo começa a partir da segunda quinzena de fevereiro.

“Muitas emendas não foram pagas porque as prefeituras e entidades indicadas pelos deputados não possuíam certidão negativa de débito ou não enviou os documentos necessários, por isso o governo vai estender este prazo”, ressaltou Mochi.

O deputado ponderou que apesar desta “segunda chance”, aqueles que não regularizarem a situação, irão perder os recursos. “Elas deveriam ser pagas até o dia 31 de janeiro, mas o governo resolveu ajudar e estipular uma nova entrega”, ponderou.

O executivo divulgou no dia 3 de fevereiro (segunda), no Diário Oficial do Estado, a lista de emendas indicadas pelos deputados que foram consideradas inaptas. Somando um total de R$ 1.485.250 em emendas individuais e R$780 mil (emendas) coletivas que não foram pagas em função de documentação.

Cada deputado pode indicar R$ 800 mil em emendas nas áreas da saúde, educação e assistência social, o que representa um investimento de R$ 19, 2 milhões.

“Da minha parte ficou uma reforma de escola em Amambai e a construção de banheiro em um centro de convivência para idosos, espero que nesta semana já esteja tudo regularizado”, afirmou Mara Caseiro (PT do B).

Osvane Ramos (PROS) teve suas propostas “paradas” aos municípios de Corumbá e Sonora e uma contribuição a entidade que faz artesanato e outras atividades em Anastácio. “São questões de planilhas por se tratar de obras, mas vão resolver”.

Já Lauro Davi (PROS) ressaltou que uma emenda para equipamentos a uma escola,
em Amambai, não foi paga em função de documentos. “Esperamos que seja regularizado, senão o recurso vai ser perdido”.

George Takimoto (PDT) também ponderou que sua emenda para uma associação em Jardim também ficou para trás, mas que a situação já foi acordada com o governo estadual.

No retorno das atividades do legislativo, na última segunda-feira, o governador André Puccinelli (PMDB) fez questão de alertar os deputados para a perda de recursos em função de pendências.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions