ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEXTA  28    CAMPO GRANDE 21º

Política

Grupo pede reforço na segurança para manifestações no dia 7 de setembro

Bolsonaristas organizam “motociata” para mesmo dia que lideranças de esquerda saem às ruas

Por Adriel Mattos | 01/09/2021 17:13
Secretário-adjunto Ary Carlos Barbosa recebeu deputado e sindicalista hoje. (Foto: Divulgação)
Secretário-adjunto Ary Carlos Barbosa recebeu deputado e sindicalista hoje. (Foto: Divulgação)

A convocação de atos no feriado da Independência do Brasil deste ano, em 7 de setembro, já está rendendo temor de confronto entre manifestantes de esquerda e apoiadores do presidente da República, Jair Bolsonaro. Os dois lados marcaram atos, apesar de serem em horários e locais diferentes.

Na tarde desta quarta-feira (1º), o presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Jaime Teixeira, e o deputado estadual Pedro Kemp (PT) se reuniram com o adjunto da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) para pedir reforço na segurança do “Grito dos Excluídos”, tradicional manifestação convocada pelo PT e demais entidades ligadas à esquerda sempre em 7 de setembro.

Em nota, o Diretório Estadual do PT diz que o embate já começou. O comunicado cita episódio em a casa do presidente da Fetems, Jaime Teixeira, teria sido alvo de manifestação na segunda-feira (30). Um grupo de motociclistas teria se reunido em frente à casa do sindicalista e soltaram rojões.

Os grupos de esquerda atribuem a ação a movimento de motociclistas organizado pelo deputado estadual Renan Barbosa Contar, o Capitão Contar (PSL), apoiador do presidente Bolsonaro.

Procurado pelo Campo Grande News, Contar disse não ter conhecimento de tal ato e garantiu que não haverá confronto. “Será um movimento pacífico. Pedimos escolta tanto para quem participar, como para quem não participar da ‘motociata’. Não vai ter confronto”, frisou.

Agenda - A “motociata” pró-Bolsonaro terá concentração a partir das 8h45 no estacionamento do buffet Yotedy, na Rua Antônio Maria Coelho, 6200, com saída às 9h. O percurso de 20 km termina nos altos da Avenida Afonso Pena, onde o público deve se dispersar às 11h.

Já o “Grito dos Excluídos”, contra o presidente, começa com a concentração na Praça Ary Coelho, às 15h. Os manifestantes iniciam a caminhada às 16h, percorrendo as ruas 14 de Julho, Antônio Maria Coelho e Pedro Celestino. O evento se encerra com uma celebração ecumênica na Praça da República, conhecida como Rádio Clube.

Feriado atípico - O 7 de Setembro normalmente é dominado por um desfile cívico-militar, que não será realizado pelo segundo ano consecutivo devido à pandemia de covid-19. O “Grito dos Excluídos” costuma ser promovido logo após esse primeiro evento.

Por sua vez, bolsonaristas estão convocando há vários dias pelas redes sociais manifestações em apoio ao presidente, concomitantemente contrárias ao STF (Supremo Tribunal Federal). Bolsonaro vem criticando duramente a corte, após decisões que o contrariam e afetam sua gestão.

Contar convocou passeata para manhã de 7 de setembro. (Foto: Reprodução/Facebook)
Contar convocou passeata para manhã de 7 de setembro. (Foto: Reprodução/Facebook)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário