ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  18    CAMPO GRANDE 31º

Política

Justiça bloqueia R$ 190 mil de contadora que desviou verba de prefeitura

A servidora fez transferência indevidas para a própria conta, somando R$ 109 mil em seis meses

Por Nyelder Rodrigues | 03/08/2021 15:56
Prefeitura de Selvíria, de onde contara fez os desvios constatados, em 2017. (Foto: Ricardo Terayama/Reprodução/Arquivo)
Prefeitura de Selvíria, de onde contara fez os desvios constatados, em 2017. (Foto: Ricardo Terayama/Reprodução/Arquivo)

Quase trinta anos de serviço público trocados por R$ 109 mil desviados dos cofres públicos direto para a conta pessoal. O caso aconteceu em Selvíria - município que fica na região do Bolsão, a 404 km de Campo Grande - e foi protagonizado pela contadora da prefeitura, agora com contas bloqueadas.

Sueli Bento foi admitida na prefeitura de Selvíria ainda em abril de 1990, atuando como contadora e responsável por várias contas do município. Contudo, foi constatado que de fevereiro a agosto de 2017, ela foi também a responsável por desvios de verba.

O montante desviado por Sueli soma R$ 190,8 mil, se já atualizado conforme ao que corresponderia hoje. Esse foi o valor que a Justiça determinou a ser indisponibilizado de sua conta, conforme revela o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul).

Diante da descoberta da irregularidade, ainda em 2017, o MPMS abriu inquérito e depois entrou com ação de improbidade contra a contadora, requerendo a condenação dela e o ressarcimento de valores indicados como subtraídos do erário público.

A investigação mostrou que foram 75 depósitos realizados nesse mesmo esquema durante os seis meses. Ela teria aproveitado da facilidade que tinha em ter acesso as contas do municípios para fazer os desvios apurados no inquérito.

Extratos bancários e materiais obtidos após apreensão do computador e do HD externo pertencentes a Sueli, mostraram as transações. Além disso, em depoimento e em proposta de acordo com o MP, ela acabou demonstrando que, possivelmente, houve mesmo enriquecimento ilícito durante o período em que foi contadora da prefeitura.

Todos os trâmites para realizar o bloqueio já foram iniciados. Sueli deve ser intimada para apresentar defesa prévia no prazo de 15 dias, com documentos e justificativas que ela acreditar serem necessárias. Antes da ação, ela também foi alvo de procedimento administrativo disciplinar, sendo suspensa das funções.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário