A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

02/02/2015 12:23

Líder do governo espera uma gestão calma com um partido na oposição

Rinaldo disse que deputados eleitos em aliança adversária já aderiram à base

Juliene Katayama
Rinaldo retorna à Assembleia Legislativa com a missão de representar o governo (Foto: Alcides Neto)Rinaldo retorna à Assembleia Legislativa com a missão de representar o governo (Foto: Alcides Neto)

O líder do governo, deputado estadual Rinaldo Modesto (PSDB), disse que a Casa de Leis só terá o PT na oposição. O restante dos parlamentares, mesmos os eleitos em alianças de adversárias já aderiram à base aliada.

“A princípio sim”, disse o tucano sobre apoio dos partidos no segundo turno como PMDB – tem seis deputados - e PSB – com um parlamentar. Além disso, outras siglas como PDT e PR também aderiram aos aliados. Juntos eles somam cinco deputados.

Assim, a oposição vai ficar a cargo do PT que disputou o segundo turno na disputa pelo comando do Estado. A bancada é composta dos deputados Pedro Kemp, Cabo Almi, Amarildo Cruz e o novato João Grandão. Os petistas já vinham fazendo oposição ao governo anterior.

Reinaldo deve ter uma governabilidade tranquila com vinte parlamentares integrando a base. Mesmo assim no discurso de abertura das atividades legislativas, nesta segunda-feira (2), o governador reiterou a parceria do Executivo com o Legislativo.

“Cumpre-me frisar, no entanto, que, para criar condições necessárias ao êxito de minha tarefa à frente do Executivo, também se iniciou diálogo com os deputados e senadores que compõem a bancada federal do Estado de Mato Grosso do Sul, para continuar uma parceria que visa ao bem do nosso querido Estado. É com o apoio deles que eu e minha equipe de governo vamos buscar atrair investimentos e recursos federais, que serão importantes para o nosso povo”, discursou Reinaldo.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions