A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

25/05/2012 12:29

Lideranças do PMDB vão a Brasília para fechar detalhes da aliança com o DEM

Wendell Reis
Trad confirmou que terá conversas com lideranças do DEM em Brasília (Foto: Pedro Peralta)Trad confirmou que terá conversas com lideranças do DEM em Brasília (Foto: Pedro Peralta)

O prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), já disse por diversas vezes que o DEM vai continuar na aliança com o PMDB em Campo Grande. Hoje (25), ele confirmou a aproximação ocorrida nas últimas semanas e disse que falta alguns detalhes, incluindo a explicação ao diretório nacional sobre o que o PMDB está oferecendo à legenda.

“No sentido de explicarmos as lideranças nacionais e com isso receber o aval desta composição”, explicou o prefeito, informando que a reunião pode ser realizada na próxima semana. A disputa foi motivo de muita negociação dentro do partido, tendo como principais personagens o deputado estadual Zé Teixeira (DEM) e o presidente municipal do partido, vereador Airton Saraiva.

Zé Teixeira defende uma aliança do PMDB com o pré-candidato do PSDB, deputado federal Reinaldo Azambuja. Já Airton Saraiva analisa que é preciso seguir com o PMDB, apoiando o deputado federal Edson Giroto. Ele avalia que o PMDB oferece as melhores condições de crescimento para o DEM.

Em meio a posturas divergentes, o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM), maior líder do partido no Estado, e primo do prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), responsável por ajudar a elegê-lo, levou a discussão para o diretório nacional.

Entre as reivindicações do DEM estão o fortalecimento do partido, que inclui a eleição de um número maior de vereadores em Campo Grande, de deputados na Assembleia Legislativa, e uma boa composição de alianças para a conquista de prefeituras pelo interior do Estado.



O crescimento quem deveria oferecer a um candidato não é o partido e sim os trabalhos realizados, o tempo de trabalho, o não envolviemento em processos, a ausência de rejeição ou pelo menos parte. Um político deveria se eleger sem gastar horrores, pois este dinheiro com certeza, grande parte vem do povo e sendo assim, falta para a saúde, educação, moradia, alimentação. Tudo que vai tem uma volta!!
 
rafaela correa em 25/05/2012 01:53:39
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions