A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Agosto de 2017

10/12/2013 13:11

Marquinhos diz que CPI descumpriu regimento com contratações irregulares

Leonardo Rocha
Deputado diz que CPI da Saúde não poderia contratar funcionários de fora do legislativo (Foto: Divulgação)Deputado diz que CPI da Saúde não poderia contratar funcionários de fora do legislativo (Foto: Divulgação)

O deputado Marquinhos Trad (PMDB) afirmou que a CPI da Saúde fez contratações irregulares, que elevaram os gastos da comissão parlamentar. Ele se baseou no artigo 50, parágrafo 6, do regimento interno da Casa, que diz que a CPI deve requisitar a mesa diretora todo material e pessoal lotado na Casa para realizar o trabalho e não contratar pessoas de fora.

“Vou entrar com uma ação no MPE, pois foi descumprido o regimento da Casa, tenho que exercer meu papel que é fiscalizar as ações do poder público e do legislativo e vou fazê-lo”, destacou Marquinhos.

De acordo com o peemedebista, a CPI da Saúde preferiu contratar um consultor paulista para trabalhar durante seis meses, ao invés de escolher alguém do Estado, que conhece a realidade local.

“O presidente (Amarildo Cruz) afirmou em entrevistas que foram gastos R$ 70 mil com o consultor de São Paulo, não havia ninguém aqui preparado para exercer esta função?”, questionou ele.

O deputado ainda lembrou da contratação do ex-chefe da Casa Civil do governo Zeca do PT, Ronaldo Franco. “Porque trouxe alguém de fora para fazer a assessoria jurídica, quanto foi gasto com ele? São estas questões que precisam ser esclarecidas”, afirmou.

Datas – Marquinhos ainda lembrou que o presidente da CPI já divulgou vários prazos diferentes para apresentar as contas da comissão (parlamentar), no entanto até hoje esta documentação não foi apresentada.

“Não há nada contra o deputado (Amarildo), mas ele se contradiz demais, um dia diz que já entregou, no outro fala que vai publicar em diário oficial, não sabemos o que pensar”.

Embate – Sobre as declarações de Amarildo que diz que vai entrar na justiça contra ele, o peemedebista citou o processo que Amarildo responde quando era diretor da Agehab (Agência Estadual de Habitação de Mato Grosso do Sul).

“Ele está sendo acusado de ações de improbidade administrativa, com dano ao erário público, mas não é o Marquinhos que fez a denúncia, vai ter que processar o promotor”, afirmou.

Relatório – O deputado também fez questão de argumentar que quatro deputados optaram por um relatório final da CPI, porém apenas um teve entendimento diferente.

“Quatro deputados de partidos diferentes não iriam compactuar com uma farsa, então não há nada a esconder ou desvio de foco, apenas questionamos os altos gastos.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions