ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SEGUNDA  30    CAMPO GRANDE 21º

Política

Marquinhos troca ideia em grupo só de prefeitos e recebe 1.800 “zaps” por dia

“Estou enfrentando essa situação com oração, sabedoria e discernimento”, diz prefeito

Por Aline dos Santos e Marta Ferreira | 19/03/2020 11:40
Prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad trocou gabinete (foto) por despachos por meio eletrônico.(Foto: André Bittar/Arquivo)
Prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad trocou gabinete (foto) por despachos por meio eletrônico.(Foto: André Bittar/Arquivo)

Numa rotina de 1.800 mensagens diárias no WhatsApp, o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), discute no  grupo “Prefeitos Capitais” experiências adotadas por outras cidades para controle do novo coronavirus (Covid-19).

Dessa troca de informações em tempo real, o prefeito colheu a ideia para suspensão das aulas na rede pública por 20 dias. “Teve gente que até ficou perplexa, mas decidi a partir do modelo adotado pelo ACM Neto [Antônio Carlos Magalhães] em Salvador. O grupo existe há um tempo e agora a gente está trocando impressões sobre que medidas adotar para conter a disseminação do coronavírus”, diz Marquinhos.

Em Salvador e Campo Grande, as aulas das redes municipais estão suspensas desde quarta-feira (dia 18). O prefeito conta que tem o WhatsApp bastante movimentado, como muitos tem seu contato, é procurado por políticos e moradores da cidade.

Acostumado à interação virtual, ele trocou as coletivas presenciais por entrevistas ao vivo no Facebook. Na live, chegam perguntas de todos os temas. “Mas já me acostumei, sempre acompanhei essas manifestações on line. Estou acostumado a receber muita demanda por meio virtual”, afirma.

O prefeito, que teve um assessor diagnosticado com o coronavírus, teve teste negativo para a doença, mas como todo mundo, vem mudando os hábitos. Ele só vai à prefeitura quando necessário, mantendo a rotina de despachos por meio eletrônico e a preferência é ficar em casa.

Nesta quinta-feira, conta que levantou às 6h da manhã. Mas antes, das 2h às 5h, se dedicou às orações.

“Orei pelo mundo. Estou enfrentando essa situação com oração, sabedoria e discernimento. É mais uma mensagem de Deus para que as pessoas parem de pensar só nelas”, afirma.

Ontem (dia 18), Marquinhos decretou emergência na saúde pública e recomendou o fechamento, por 15 dias, de shopping centers, academias de ginástica, de todos os parques de lazer e restrição de 30% no horário de atendimento de bares e restaurantes.

O documento também evita a realização de eventos com mais de 50 pessoas em estabelecimentos privados. São citados igrejas, cinemas, museus, teatros, bibliotecas e centros culturais.