A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

03/02/2016 12:55

Marun nega medida protelatória no Conselho de Ética em favor de Cunha

Antonio Marques
Deputado federal Carlos Marun nega que tenha tomado medida protelatória no Conselho de Ética para favorecer o presidente Eduardo Cunha (Foto: Reprodução do Facebook)Deputado federal Carlos Marun nega que tenha tomado medida protelatória no Conselho de Ética para favorecer o presidente Eduardo Cunha (Foto: Reprodução do Facebook)

O deputado federal Carlos Marun (PMDB) nega que seu recurso à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados que anulou a reunião do Conselho de Ética em que foi aprovada a abertura de processo disciplinar contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, por quebra de decoro parlamentar, seja uma medida protelatória. Em vídeo gravado na tarde de ontem em seu gabinete, ele alega ter usado o que determina o Regimento Interno da Casa e a Constituição.

No vídeo de menos de três minutos, Marun inicia explicando que havia solicitado “vistas coletivas e não sucessivas, por duas sessões”, do relatório apresentado pelo deputado Marcos Rogério (PDT/RO), relator do processo de representação que pode cassar o mandato do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), acusado de ter omitido a informação das contas pessoais no exterior em depoimento na CPI da Petrobras.

No entanto, segundo o deputado sul-mato-grossense, com a negativa do presidente da Conselho, deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), não restou outra opção a ele a não ser o recurso à Mesa Diretora da Câmara. “Eu recorri dessa decisão e, por ser obvio e ululante o direito de o deputado conhecer o relatório que estaria votando o recurso foi provido”, relatou Marun sobre a decisão do 1º vice-presidente da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), aliado do presidente Eduardo Cunha.

Depois de ter havido a troca de relatores no Conselho, também por decisão de Waldir Maranhão, o novo relator do processo, deputado Marcos Rogério (PDT-RO), acatou o parecer anterior de Fausto Pinato (PRB-SP) e o colegiado deu prosseguimento à representação. Marun pediu vistas alegando que os deputados não teriam conhecimento do relatório, que não havia sofrido alteração mesmo com mudança do relator.

“Não é porque muitos desejam uma grande rapidez neste processo que vou passar agir fora do que demanda o Regimento da Casa e a Constituição de nosso país. Eu desafio alguém dizer, à luz desses instrumentos legais, que estou errado. Estou certo e por isso o recurso teve provimento”, afirmou ele.

Marun questiona que tal medida tenha sido protelatória, como divulgado pela imprensa, porém reconhece que “efetivamente o Conselho de Ética vai ter que realizar uma nova votação.” Ou seja, com isso, terá de ser reaberta no Conselho a discussão sobre o caso, com a possibilidade de novo pedido de vista do relatório sobre a admissibilidade do processo. O próprio site da Câmara diz que o processo retoma ao estágio inicial.

Mas Marun nega que o processo vai voltar a estaca zero, apenas vai ser adiado por duas sessões para que os deputados tomem conhecimento do que está sendo votado e votar novamente a abertura do processo disciplinar contra o presidente da Casa. “Eu não defendo Eduardo Cunha, defendo a legalidade”, garantiu Marun.

Se não houve mais recursos, Marun acredita que a votação no Conselho aconteça na semana após o Carnaval. “Eu entendo que essas duas sessões de adiamento é um preço pequeno a se pagar para que os deputados votarem o novo relatório”, explicou ele, que garante que o novo relator alterou o documento anterior. “Ele não manteve o mesmo relatório e fez outro, não sei se por vaidade ou qual outro motivo, mas sustentou que não alterou nada”, alegou o parlamentar de Mato Grosso do Sul.

CCJ julga amanhã recurso de Marun em favor de Eduardo Cunha
O recurso apresentado pelo deputado Carlos Marun (PMDB-MS) contra decisão do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara, que aprovou na semana ...
Assembleia vota prorrogação de adesão a fundo que regula incentivos fiscais
A prorrogação até 30 de dezembro do prazo para que empresas beneficiadas com incentivos fiscais concedidos pelo governo do Estado se inscrevam no Fad...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions