ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUINTA  17    CAMPO GRANDE 22º

Política

Mato Grosso do Sul precisa de mais R$ 265 milhões para obras de BRs e hidrovia

Bancada federal se reuniu com diretor-geral do DNIT para saber os valores necessários para suplementação

Por Gabriela Couto | 07/05/2021 12:44
Deputado Beto Pereira (PSDB) e senador Nelsinho Trad (PSD) representaram a bancada federal de MS em reunião com diretor-geral do Dnit, general Santos Filho (Foto Divulgação)
Deputado Beto Pereira (PSDB) e senador Nelsinho Trad (PSD) representaram a bancada federal de MS em reunião com diretor-geral do Dnit, general Santos Filho (Foto Divulgação)

Após os vetos  do orçamento da União, o coordenador da bancada federal de Mato Grosso do Sul, senador Nelsinho Trad (PSD), e o deputado federal Beto Pereira (PSDB) foram ao Dnit(Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), para acompanhar o andamento dos projetos com obras prioritárias para Mato Grosso do Sul.

O encontro desta quinta-feira (06) revelou o mapeamento da situação financeira para execução dos projetos das BRs e aquaviários. Serão necessários mais R$ 265 milhões no decorrer deste ano, além dos recursos constantes no orçamento para 2021.

O diretor-geral do DNIT, general Santos Filho, afirmou que o departamento não tem esses valores.  “Estamos fazendo um exercício de remanejamento para tocar as obras até agosto, para esperar se há uma suplementação”, explicou.

Dentre as obras que devem sofrer impactos com o corte do orçamento e que vão necessitar de suplementação estão a implantação e a pavimentação das rodovias BRs 262, 267 e 419, importantes para Rota Bioceânica, do Anel Viário de Três Lagoas, a Travessia de Dourados e a obra do Macroanel Rodoviário de Campo Grande.

O Dnit precisa de R$ 65 milhões para o andamento das obras do lote 1 na BR-419. Desse valor, R$ 25 milhões já estão garantidos no orçamento da União de 2021. Segundo informações do Dnit, do lote 1 são 52 km de pavimentação e já foram executados 38 km. Mas o restante dos R$ 40 milhões ainda estão em falta.

A obra do Macro Anel de Campo Grande BR-262/060/163 MS, que teve início em 2010 (na época o senador Nelsinho Trad era o prefeito da Capital), está quase concluída e tem R$ 2,8 milhões de previsão orçamentária da União. “Resta apenas a rotatória do entroncamento com a BR163/MS; – Projeto aprovado pela CCR; – Pendente aprovação da ANTT; – Licitar no 2º semestre/2021. – Licitar pela ação de manutenção”, conforme explicação técnica do Dnit.

Quanto a implantação e pavimentação do Contorno Rodoviário de Três Lagoas, houve o bloqueio de R$ 16 milhões e a estimativa da obra é de R$ 149 milhões. A previsão seria começar a obra neste ano e concluir em 2023.

“A situação é de implantação e pavimentação de 26,46 km de nova pista (pista simples + acostamento); - Construção de oito pontes e viadutos; - Objetivo de retirar todo o tráfego pesado da área urbana da cidade, principalmente os caminhões tri-trens que transportam toras de eucalipto para as indústrias de celulose da região. São projetos em execução”, foi a explicação do Dnit.

Os deputados federais afirmaram que vão buscar ajuda da Itaipu Binacional em apoio a esses projetos.

Já a obra tão aguardada em Dourados com eliminação de pontos críticos na travessia urbana está em fase de licitação. O Dnit tem R$ 15 milhões para execução e a estimativa é de R$ 42 milhões. “Implantação e Pavimentação de aproximadamente 5,5 km de nova pista (2 faixas de tráfego + acostamento); - Recuperação de aproximadamente 5,5 km de existente (2 faixas de tráfego + acostamento); - Implantação e Pavimentação de aproximadamente 2,5 km de pistas laterais para acessar com segurança a rodovia; - Implantação de 4 interseções/retornos em nível; - Construção de 2 viadutos e contenções em Terra Armada”.

Aquaviários - A diretora de Infraestrutura Aquaviária do Dnit, Karoline Lemos, apresentou o balanço do andamento de obras de dragagem, desobstrução e sinalização do Rio Paraguai. Segundo ela, a Lei Orçamentária Anual de 2021 já prevê recursos de 1,6 milhões de reais para os projetos de sinalização do Rio Paraguai.

“A gente, no ano passado, finalizou a licitação e estamos trabalhando na dragagem que queremos iniciar em junho”. A execução dos serviços de dragagem de manutenção, desobstrução de vegetação e sinalização no Rio Paraguai tem outros R$ 7,6 milhões e precisam ao todo de R$ 11,1 milhões.

“– Em andamento os serviços de recuperação das embarcações a serem utilizadas na dragagem, previsão de conclusão em maio de 2021; – Pendente emissão da ABIO (IBAMA) para início da dragagem; – Início da dragagem previsto para junho de 2021 (a depender da autorização do IBAMA)”.

Rota Bioceânica - Em relação ao projeto da Rota Bioceânica, o diretor-geral do DNIT, General Santos Filho, informou que vai fazer restaurações e melhoramento nas rodovias 267 e 262. “Inclusive o projeto já está licitado e essas obras vão precisar de um aporte de R$ 100 milhões”, comentou.

Com essas informações em mãos, o senador Nelsinho Trad informou que vai procurar o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, para buscar alternativas e conquistar os R$ 265 milhões para Mato Grosso do Sul. “O nosso Estado não poderá ficar com prejuízos”, enfatizou o senador.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário