A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 19 de Abril de 2018

20/10/2017 10:14

Michel Temer chega às 11h deste sábado em MS, confirma Planalto

Em Miranda, presidente valida acordo relacionado a preservação do Pantanal

Mayara Bueno e Anahi Zurutuza
Avião da Presidência estacionado na Base Aérea de Campo Grande (Foto: Direto das Ruas)Avião da Presidência estacionado na Base Aérea de Campo Grande (Foto: Direto das Ruas)

A agenda do presidente da República Michel Temer (PMDB) em Miranda,começa ao meio-dia, conforme a assessoria de comunicação do Palácio do Planalto, que só nesta sexta-feira (20) confirmou a vinda dele para Mato Grosso do Sul.

O comandante do país vem ao Estado para participar do II Encontro Carta Caiman, no sábado, dia 20. A previsão é que ele chegue por volta das 11 horas e participe de reunião fechada para apresentação técnica dos estudos que são feitos.

O avião oficial da Presidência da República, segundo informou ontem (19) o deputado federal Carlos Marun (PMDB), pousará na Base Aérea de Campo Grande e da Capital, o presidente segue de helicóptero para o Refúgio Ecológico Caiman, onde acontece o evento que também deve contar com a presença do governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

A assessoria do Planalto, entretanto, não deu detalhes do itinerário. Após o evento aberto ao público, a chefe do País deve conceder entrevista para a imprensa no local.

Segurança – Uma equipe do Planalto estava até ontem em Mato Grosso do Sul para preparar a vinda do presidente. O avião da Presidência chegou a Campo Grande na tarde de quarta-feira (18) para trazer a segurança e assessores de Michel Temer, conforme a assessoria de imprensa da Base Aérea de Campo Grande, onde a aeronave está estacionada.

Conforme a assessoria de imprensa do Ministério do Meio Ambiente, além de estar prevista a vinda do presidente, está pré-agendada a vinda do ministro José Sarney Filho.

Agenda – No evento, Temer deve validar acordo firmado no ano passado entre os governos de Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso para a preservação do Pantanal.

Em outubro de 2016, o Pantanal “passou a ser único” para as duas administrações estaduais com a criação de grupo de trabalho para discutir ações integradas para preservar o bioma e promover o desenvolvimento econômico e social na região na planície.

O documento, chamado de Carta Caiman e assinado pelos governadores Reinaldo Azambuja (PSDB) e Pedro Taques (PDT), previa prazo de 12 meses para o planejamento das medidas.



Sinto vergonha de saber que o presidente deste pais, precisa ser acompanhado por seguranças pois se assim não for o povo poderá atacá-lo. Um pessoa odiada pela população, corrupto e que vem gastando rios do nosso dinheiro para fugir de acusações. Será que ele não tem vergonha na cara de saber que não é bem vindo aqui e em nenhum lugar do Brasil ?
 
Jose Leal Batista em 20/10/2017 10:47:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions