A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

24/04/2016 08:54

Missão de denunciar investigados sobra para novo chefe do MPE

Relatório de investigação sobre cassação de Alcides Bernal é analisado na PGJ; ninguém fala quantos serão denunciados

Paulo Yafusso
Humberto de Matos Brittes deixa a chefia do MPE no início de maio (Foto: Arquivo)Humberto de Matos Brittes deixa a chefia do MPE no início de maio (Foto: Arquivo)
Paulo Passos, que assume a PGJ em maio (Foto: Fernando Antunes / Arquivo)Paulo Passos, que assume a PGJ em maio (Foto: Fernando Antunes / Arquivo)

Os investigados na Operação Coffee Break terão pelo menos mais duas semanas de tranquilidade. É que uma coisa já está certa no MPE (Ministério Público Estadual): não caberá ao atual procurador-geral de Justiça, Humberto de Matos Brittes, a missão de oferecer denúncia contra os suspeitos. Ele deixa a PGJ (Procuradoria-Geral de Justiça) na primeira semana de maio e o pedido à Justiça para que os acusados sejam processados ficará por conta do novo chefe do MPE, Paulo Passos.

Evitando falar sobre o assunto, Matos Brittes limitou-se a dizer que seis promotores de justiça ainda estão analisando o relatório entregue pelo coordenador do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), promotor de justiça Marcos Alex Vera de Oliveira. “São 5 mil documentos que estão sendo analisados, e acredito até que o doutor Paulo Passos vá levar ainda um bom tempo para analisar o caso”, resumiu o atual procurador-geral do MPE.

O novo titular do PGJ, Paulo Passos, afirmou que caso a análise do relatório fique pronto, já no início do seu mandato vai oferecer denúncia contra os investigados. Ninguém no MPE informa quantos deverão ser denunciados.

Mas, o Campo Grande News apurou que alguns nomes que não estavam na lista inicial de suspeitos, aparecerão na denúncia a ser feita ao Judiciário.

A Operação - A Operação Coffee Break foi deflagrada pelo Gaeco no dia 25 de agosto do ano passado, para investigar suposto esquema de compra de vereadores, com dinheiro ou vantagens, para a cassação do então prefeito Alcides Bernal (PP). Logo após a ação em que vários políticos e empresários foram conduzidos coercitivamente ao Gaeco para prestar depoimento, o então prefeito Gilmar Olarte (PP) e o presidente da Câmara de Vereadores à época, Mário César (PMDB), foram afastados do cargo por determinação judicial.

Meses depois, Mário César conseguiu na justiça voltar a cumprir o mandato de vereador, mas não pode reassumir a presidência. A Câmara então elegeu novo presidente, o vereador João Rocha, do PSDB.

Em dezembro do ano passado, ao anunciar que havia concluído o relatório preliminar da Coffee Break e que o documento estava sendo entregue ao PGJ Humberto de Matos Brittes, o coordenador do Gaeco, Marcos Alex Vera de Oliveira, disse à imprensa que, com base nas investigações, ficou constatado o envolvimento na cassação de Bernal, de 13 vereadores, dois ex-prefeitos e empresários.

Ainda de acordo com a investigação, o afastamento do prefeito tinha como objetivo manter um esquema que beneficiava as empresas, cujos proprietários estiveram diretamente envolvidos no esquema criminoso. A operação levou o nome de Coffee Break, em referência ao termo usado por vários investigados, que ao se referirem a pagamento de propina, falavam em “cafezinho”.

Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi 'ótimo' para ganhar votos
O presidente Michel Temer procurou mostrar otimismo ao falar sobre a reforma da Previdência ao dar posse ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) c...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...
TRE realiza plantão para cadastramento biométrico neste sábado na Capital
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) realiza neste sábado mais um plantão para atender eleitores de Campo Grande que ainda nã...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions