ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEXTA  23    CAMPO GRANDE 24º

Política

MS tem segundo maior índice nacional de servidores federais demitidos

Paulo Nonato de Souza | 09/01/2017 16:15

Na comparação proporcional, Mato Grosso do Sul é o estado com a segunda maior média de servidores federais demitidos pelo Governo Federal a bem do serviço público: 9,6 por mil servidores punidos, logo atrás do líder, o Amazonas, que aparece com média de 11,6 expulsões por cada mil servidores, diz o relatório do Ministério da Transparência e Fiscalização e CGU (Controladoria Geral da União), divulgado nesta segunda-feira (9).

De acordo com o levantamento do Governo Federal, entre 2003 e 2016 foram afastados 6.209 servidores em todo o Brasil, a maioria por acusação de corrupção. Desse total, 5.172 foram demitidos, 493 tiveram a aposentadoria cassada e 544 foram afastados de funções comissionadas. Somente no ano passado foram

Com um universo de 10.222 servidores públicos federais, Mato Grosso do Sul teve 128 demissões entre 2003 e 2016, enquanto o Amazonas, o líder na comparação proporcional, teve 255 demissões para um universo de 10.242 servidores. No total, o campeão de penas expulsivas foi o Rio de Janeiro, com o afastamento de 1.096 para um universo de 100.319 servidores públicos federais.

Ainda de acordo com o relatório, somente em 2016 o Governo Federal expulsou 550 servidores públicos, o número anual de expulsões mais expressivo desde 2003, 65% por acusação de corrução. Em 2015 esse percentual foi de 61,4%.

Abandono de cargo, faltas ou a acumulação ilícita de cargos vêm logo depois da corrupção como fatores motivadores de demissões. Proceder de forma desleixada no trabalho e a participação em gerência ou administração de sociedade privada também figuram entre as razões que mais afastaram servidores, mas vale ressaltar que os dados do relatório da CGU e do Ministério da Transparência não incluem os servidores de empresas estatais, como a Caixa Econômica, Correios e Petrobras.

Entre 2003 e 2016, os estados com número mais elevado de punições foram Rio de Janeiro (1.096), Distrito Federal (763) e São Paulo (667). As pastas com a maior quantidade de servidores expulsos foram o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (1.558), Ministério da Educação (1.031) e Ministério da Justiça e Cidadania (981).

VEJA NA ÍNTEGRA O RELATÓRIO DA CGU E MINISTÉRIO DA TRANSPARÊNCIA. CLIQUE AQUI:

Nos siga no Google Notícias