A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

17/09/2012 17:42

Artistas de Corumbá fazem nota de repúdio contra uso do hino municipal

Nadyenka Castro

Marcha a Corumbá foi utilizada no Horário Eleitoral Gratuito da coligação “Corumbá no Rumo Certo”

Classe artística de Corumbá fez nota pública de repúdio contra uso do hino do município no Horário Eleitoral Gratuito da coligação “Corumbá no Rumo Certo”.

Mais de 40 assinaturas de músicos, atores, poetas, artesãos foram colhidas. Entre elas está a de dona Izulina, do Mestre Agripino, Marluci Brasil e SalimHaqzan. O abaixo-assinado foi protocolado no Conselho Municipal de Cultura de Corumbá.

Na nota de repúdio, os artistas acusam a coligação da candidata Solange Ohara, do PMDB, de “flagrante desrespeito a um dos maiores símbolos do orgulho pantaneiro, o hinode Corumbá”.

“Se a gente respeita o Hino Nacional, por que não respeitar o Hino de Corumbá? Temos que ter orgulho das coisas que temos e o hino retrata,musicalmente, a alma do corumbaense”, disse a artista Marlene Mourão, mais conhecida por Peninha.

O ator e diretor de teatro, Salim Haqzan, lamentou o mau exemplo das pessoas que desrespeitam o hino. “As pessoas deveriam se orgulhar um pouco mais e se apropriar disso, como uma coisa do corumbaense, que simboliza toda essa paisagem, o casario, a cor do céu, deveria fazer parte do orgulho da gente, de ser corumbaense”.

No programa do horário eleitoral do dia 31 de agosto, em rede de rádio e tevê, a Marcha a Corumbá é executada em contexto oposto e desvinculado de seu propósito, que é o de louvar e exaltar as belezas naturais da cidade branca, seu povo e suas tradições.

Além disso, o ritmo do hino é alterado de forma a deixá-lo descaracterizado e indigno. No programa eleitoral de Solange Ohara exibido nesta segunda-feira, dia 17/09, o hino é executado novamente de forma irônica por duas atrizes. Um terceiro personagem manda que as lavadeiras “calem a boca”.

A candidata à vice-prefeita, Márcia Rolon, externou indignação com o fato. “Enquanto trabalhamos com o propósito de ampliar o diálogo entre cultura e educação, assistimos um movimento contrário de nossa adversária”, diz. “E agora, me respondam a pergunta que não quer calar: como respeitar alguém que desrespeita nossa memória, nosso saber, nossa história, nosso ser cultural?”.

Para o candidato à prefeitura de Corumbá, Paulo Duarte (PT), esta foi uma falta de consideração com todo o povo corumbaense.

“De todas as faltas cometidas pela campanha adversária,essa atingiu o ápice”, diz. “O hino não é de um partido político, de um grupo ou de uma pessoa, é de Corumbá. Além do mais, ele foi chamado de ‘música’ e o hino é mais do que isso, é um símbolo municipal e merece todo o nosso respeito”.

Abaixo-assinado feito pela classe artística. (Foto: Divulgação)Abaixo-assinado feito pela classe artística. (Foto: Divulgação)
Diversas assinaturas foram coletadas.(Foto: Divulgação)Diversas assinaturas foram coletadas.(Foto: Divulgação)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions