ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 31º

Política

Pesquisa avaliará impacto de portarias da Funai

Redação | 08/09/2008 17:12

Após duas horas de reunião, entre governo, fazendeiros, políticos, representantes da indústria e do comércio, algumas novas estratégias surgiram na tentativa de barrar as demarcações de terras indígenas em Mato Grosso do Sul.

A conversa foi longa e avaliada como momento também de atualização de informações, que serão usadas pelo governo como argumentos, durante encontro com o presidente da Funai, Márcio Meira, no dia 15 de setembro.

O governador refutou a proposta de liderar um grupo de parlamentares sul-mato-grossense para buscar uma reunião com o presidente Lula, conforme solicitação dos produtores, mas outras iniciativas já estão planejadas.

A Assembléia Legislativa, representada pelo presidente da casa, deputado Jerson Domingos, ficou de verificar se juridicamente o poder legislativo estadual pode criar uma CPI para investigar um órgão federal, no caso a Funai.

Outro estudo que pode ser feito é sobre a criação de uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional), também na Assembléia, para que todo processo para demarcação de terras no Estado acontece com a presença de um representante do governo.

O presidente da Famasul (Federação de Agricultura de Mato Grosso do Sul), Ademar da Silva Júnior, informou que a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) acertou que fará uma pesquisa para ver como anda a economia nas cidades atingidas pelas portarias da Funai. São 26 na região Sul, além de Miranda e Aquidauana.

Segundo ele, dados do SPC demonstram que Campo Grande já registrou queda,

Nos siga no Google Notícias