A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

23/03/2016 15:53

Políticos do Estado estão na lista dos que receberam doações da Odebrecht

Paulo Yafusso

Quatro políticos de Mato Grosso do Sul aparecem na relacão de recebimento de doações para a campanha eleitoral de 2010 da empreiteira Noberto Odebrecht. As listas foram apreendidas pela Polícia Federal durante a Operação Acarajé (23ª fase da Lava Jato) nos endereços de Benedicto Barbosa Silva Júnior, conhecido como BJ, presidente da Odebrecht Infraestrutura.

Nas listas constam que receberam recursos financeiros para a campanha eleitorais os deputados federais Vander Loubet (PT) e Luiz Henrique Mandetta (DEM), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e ex-governador André Puccinelli (PMDB). Um detalhe é que, à exceção de Azambuja, as doações para os demais políticos do Estado foram feitas diretamente nas contas dos beneficiários, conforme os documentos apreendidos.

O PSDB informou que as doações feitas à campanha de Azambuja, foram destinadas ao diretório regional. Tanto que na listagem da Odebrecht constam que teriam sido feitas liberações em parcelas de R$ 150 mil e R$ 350 mil, e na prestação de contas registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi declarado o recebimento de R$ 400 mil da empreiteira. A diferença, de R$ 100 mil, foi direcionada pelo partido à campanha de outros candidatos tucanos.

Ainda de acordo com o PSDB, o governador Reinaldo Azambuja não conhece nenhum diretor da Odebrecht e nem tem relacionamento com a construtora. As doações, reforça o partido, foram feitas sempre diretamente a direção nacional, que, por sua vez, repassa aos diretórios estaduais.

De acordo com os documentos que estão de posse da Polícia Federal de Curitiba, as doações para Loubet e Mandetta foram solicitadas por uma pessoa indicada pela sigla “AA/BJ”. Já para o ex-governador André Puccinelli, a colaboração teria sido pedida por “FR/Foz”.

Em todas as situações, os valores efetivamente liberados está abaixo do que foi requerido. No caso dos deputados federais, por exemplo, os pedidos foram para R$ 50.000,00, mas a empreiteira liberou R$ 40.000,00. Para Puccinelli, a liberação foi de R$ 400.000,00 – R$ 100.000,00 a menos. As doações foram efetivadas no final de setembro e início de outubro, conforme consta nas planilhas.

O Campo Grande News entrou em contato com as assessorias de Vander Loubet, Luiz Henrique Mandetta e André Puccinelli para que eles pudessem falar das doações. Em nota, Loubet afirmou que todas as doações de campanha foram dentro da lei e declaradas à Justiça Eleitoral. André Puccinelli não se manifestou até o fechamento da reportagem não haviam enviado as respostas. Não conseguimos contato com o deputado federal Luiz Henrique Mandetta.

Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi 'ótimo' para ganhar votos
O presidente Michel Temer procurou mostrar otimismo ao falar sobre a reforma da Previdência ao dar posse ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) c...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...


Qual o apelido do Azamba na lista da Odebrecht?
 
Critico em 23/03/2016 22:59:07
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions