ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 26º

Política

Ponte entre MS e Paraná deve encurtar 130 km até o Porto de Paranaguá

Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental deve ficar pronto em agosto

Por Fernanda Palheta | 21/06/2024 17:44
Comitiva do Paraná se reune com Governo de Mato Grosso do Sul para discutir nova ponto entre os dois Estados (Foto: Alex Machado)
Comitiva do Paraná se reune com Governo de Mato Grosso do Sul para discutir nova ponto entre os dois Estados (Foto: Alex Machado)

A construção de uma nova ponte sobre o Rio Paraná poderá encurtar em 130 quilômetros a distância até o Porto de Paranaguá, no estado vizinho. Em reunião entre o Governo do Estado e comitiva paranaense, na tarde desta sexta-feira (21) foi discutido o andamento da obra que irá ligar Mato Grosso do Sul ao Paraná. O Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental contratado pela Itaipu Binacional no ano passado, deve ser entregue até agosto.

O secretário de Infraestrutura e Logística, Helio Peluffo, apontou que esse projeto tem 10 anos e as negociações começaram com o ex-governador Reinaldo Azambuja (PSDB). “Agora estamos na terceira fase, a última é a viabilidade econômica, que de ser aprovada em função da economicidade que esse novo trajeto pode gerar, ida e volta, até 260 quilômetros”, disse o titular da Seilog (Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso do Sul).

Com a entrega do estudo, em agosto, serão apresentadas três possibilidades de traçados, um dele por Taquarusso, outro por Bataypora e um terceiro por Nova Andradina. “O governo irá decidir com base técnica. Em seguida vamos desenvolver o projeto, orçamento, licença ambiental”, explicou Peluffo. O secretário garantiu que não irão definir um traçado que passe por áreas alagadas, comum na região e em áreas de preservação permanente.

O deputado estadual Roberto Hashioka (União), ressaltou o impacto econômico da nova rota. “Uma ligação rodoviária de suma importância para o Centro-oeste e para o Sul do Brasil, que permite o acesso mais fácil ao porto de Paranaguá, por onde cerca de 40% das exportações de Mato Grosso do Sul é escoada, isso significa R$ 4 bilhões de dólares”, detalhou.

O parlamentar ainda ressaltou a nova rota trará mais segurança. “Com um traçado mais planejado teremos mais segurança para o trafego pois hoje há um conflito entre o tráfego pesado e o leve e rodovias sem acostamento no lado sul-mato-grossense”, completou.

Para o presidente da Socipar (Sociedade Civil Organizada do Paraná), Demerval Silvestre, a rota trará mais desenvolvimento regional para os dois estados. “Tanto para o agronegócio quanto para o turismo. O governador [Eduardo Riedel] mostrou total interesse no projeto”, afirmou. Segundo ele, 40 pessoas participaram da reunião, entre empresários, representantes da sociedade, e políticos.

Já o presidente da união de entidades do extremo noroeste do Paraná, Jorge Bezerra Guedes, destacou a importância da integração entre os estados. “Vamos ter uma integração em uma região que tem pouca integração, além disso o trecho que está sendo pensado tem um grande potencial turístico e poderá alavancar o turismo naquela região, nos dois estados. Um novo polo turístico”, finalizou.

O prefeito da cidade paranaense Santa Cruz de Monte Castelo, Fran Boni afirmou que muitas cooperativas do Paraná que migraram para Mato Grosso do Sul e hoje o trajeto é “mais complicado”. “Hoje tem que para são Paulo para ir para o Paraná, aqui seria direto”, afirmou.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias