A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 21 de Julho de 2018

16/09/2014 10:50

Presidente de comissão vê como "apartheid" declaração de vereador sobre gays

Helio de Freitas, de Dourados

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em Dourados, Márcio Fortini, comparou ao “Apartheid”, como ficou conhecida a separação entre negros e brancos, a proposta do vereador e candidato a deputado estadual Sérgio Nogueira (PSB) de levar homossexuais para uma ilha e deixá-los lá por meio século.

“Eu não sei se o vereador disse mesmo o que a imprensa divulgou, mas se ele falou foi no mínimo muito infeliz. Como pastor e cidadão ele tem o direito de ter a sua convicção, mas ele é um homem público, não pode tomar essa postura”, afirmou Márcio Fortini ao Campo Grande News.

Segundo o advogado, qualquer afronta ao direito individual das pessoas deve ser repelida pela sociedade. “A OAB e o CNJ [Conselho Nacional de Justiça] reconhecem os direitos de uma relação homoafetiva. Se as pessoas têm esse direito então precisamos defendê-lo e não pregar a segregação, o Apartheid”, afirmou Fortini, reforçando que fala apenas com base nas informações divulgadas pela imprensa, já que não ouviu o discurso do vereador.

O Apartheid (separação) foi o regime de segregação racial adotado de 1948 a 1994 pelos governos do Partido Nacional na África do Sul. Os direitos da grande maioria dos habitantes negros eram cerceados pelo governo formado pela minoria branca.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions