A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

27/06/2012 18:09

PSL confirma aliança com Edson Giroto, mas expõe crise interna

Fabiano Arruda
Deputado George Takimoto é acusado pelo presidente do PSL em MS, Alceu Bueno, de ser contra a aliança com Giroto. Pelo contrário. Sou amigo do governador, disse. (Foto: Divulgação)Deputado George Takimoto é acusado pelo presidente do PSL em MS, Alceu Bueno, de ser contra a aliança com Giroto. "Pelo contrário. Sou amigo do governador", disse. (Foto: Divulgação)

O PSL, um dos partidos mais cobiçados pelos pré-candidatos à Prefeitura de Campo Grande, confirmou, nesta quarta-feira, que será aliado do deputado federal Edson Giroto (PMDB), mas expôs uma crise interna às vésperas das convenções.

O racha inclui até gravação que mostra o presidente do PSL em Mato Grosso do Sul, Alceu Bueno, faz uma suposta negociação de pré-candidaturas em pelo menos quatro municípios, por R$ 10 mil.

Bueno nega isso e diz que o diálogo é sobre contribuição para campanhas.

“Você acha que eu venderia o partido por R$ 10 mil? Sou empresário e tudo que construí foi com suor. Por ano gastamos R$ 80 mil para manutenção do partido”.

O político diz que foi chantageado por um grupo ligado ao deputado estadual George Takimoto (PSL) e seu assessor, Emidio Milas, ex-presidente da legenda no Estado, que não estariam satisfeitos com as alianças da legenda em algumas cidades como em Campo Grande, com Giroto, além de Itaporã, Glória de Dourados, Miranda e Iguatemi.

Alceu afirma que foi chantageado, ontem, por um site de Dourados que cobrou R$ 50 mil para que o áudio não fosse divulgado, e diz que a gravação foi feita pelo grupo ligado a Takimoto.

“Você acha que eu venderia o partido por R$ 10 mil? Sou empresário e tudo que construí foi com suor. Por ano gastamos R$ 80 mil para manutenção do partido”.

O presidente do diretório regional do PSL ainda explicou que o pedido de verba para pré-candidatos no interior serve para bancar os custos do partido.

“Como o partido se mantém senão tiver a ajuda dos correligionários? A contribuição ao partido, desde que seja de origem legal, é a coisa mais normal. Nunca pedi nada para mim, mas para o PSL”, justificou.

Outro lado-Ao Campo Grande News, o deputado George Takimoto se mostrou surpreso e rebateu as acusações. “Não sei como ele tem coragem de dizer isto de mim. Nem sei do que se trata”.

“Até estes dias eles (Alceu e Emídio) estavam numa boa”, pontuou ao falar sobre as declarações de Bueno e reafirmar não ter qualquer responsabilidade sobre a gravação.

O parlamentar garante que nunca fez questão de política de diretório, pois acha “muito complicado” e que defende total autonomia para as direções do partido no interior. “Nunca cobrei nada”.

Perguntado se é contra a aliança do PSL com Giroto em Campo Grande, Takimoto voltou a retrucar. “Pelo contrário. Sou amigo do governador André Puccinelli, ajudei o Giroto na minha cidade (Dourados) e não tenho nada contra a aliança”.



Triste é desta maneira que vejo este situação. Emidio todos no meio ja conhece e sabe como ele tem facilidade para (...?) Dr. Takimoto um homem de paz e mto correto que talvez pele sua idade, hj é mto do deixa a vida me levar vida leva eu... O Sr. Alceu uma pessoa diferente em suas ações vc não sabe o que ele quer. Vejo que o PSL precisa se entender urgente pois é mto pequeno ainda pra olofortes.
 
Antonio de Almeida junior em 29/06/2012 08:41:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions