A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

01/07/2014 19:40

PT lidera ranking de tempo de propaganda de rádio e TV, seguido por PSDB e PMDB

Ludyney Moura
Paulo Duarte afirma que tempo de propaganda gratuita requer mais qualidade na apresentação de propostas. (Foto: Marcelo Victor) Paulo Duarte afirma que tempo de propaganda gratuita requer mais qualidade na apresentação de propostas. (Foto: Marcelo Victor)
Já Reinaldo Azambuja destaca que propaganda na TV será importante para torná-lo conhecido entre o eleitor do Estado. (Foto: Cleber Gellio) Já Reinaldo Azambuja destaca que propaganda na TV será importante para torná-lo conhecido entre o eleitor do Estado. (Foto: Cleber Gellio)

Com o fim do prazo para realização das convenções partidárias, as agremiações tem até o próximo sábado, 5 de julho, para protocolar o registro das candidaturas aprovadas junto ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral). A propaganda eleitoral na forma de comícios, uso de aparelhagem de som e pela internet poderá ser feita já a partir do próximo domingo 6 de julho, enquanto a propaganda eleitoral no rádio e na televisão só estará liberada a partir do dia 19 de agosto, e vai até o dia 2 de outubro (em caso de 2º turno, a propaganda volta no dia 6 de outubro e se estende até o dia 24 do mesmo mês).

Esta última forma de divulgação é a grande aposta dos candidatos para convencer o eleitor e garantir o voto. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) só vai divulgar o tempo oficial de cada partido no rádio e TV no começo do mês de agosto, depois da análise e julgamento das candidaturas registradas e aprovadas.

Com base no tamanho da bancada de cada partido na Câmara Federal, nos critérios divulgados pelo TSE e nas coligações apresentadas até hoje, o Campo Grande News calculou o tempo que cada candidato ao Governo do Estado terá para levar até o eleitor suas propostas.

A propaganda na TV será dividida em dois blocos diários de 25 minutos cada um. Em Mato Grosso do Sul lidera o ranking de tempo de exposição o candidato do PT ao Governo do Estado, senador Delcídio do Amaral, que tem outros 10 partidos em sua coligação. A chapa petista deve ficar com pouco mais de 9 minutos na TV.

Em segundo lugar aparece o candidato tucano, deputado federal Reinaldo Azambuja, que ao lado de outras cinco legendas, vai consumir 6 minutos e 10 segundos de tempo na TV. Em terceiro, logo atrás do PSDB, está o ex-prefeito da Capital, Nelsinho Trad, que além do seu PMDB tem outras nove siglas na chapa e terá aproximadamente 6 minutos em cada bloco.

O candidato do PP ao Governo, o vereador de Corumbá, Evander Vendramini, ao lado do principal nome da legenda, o candidato ao Senado, Alcides Bernal, terá cerca de 2 minutos e 40 segundo. Com menos de um minuto de exposição estão os candidatos do PSTU, professor Marco Antônio Monje e o do PSOL, professor Sidney Melo.

Para o presidente estadual do PT, Paulo Duarte, prefeito de Corumbá, o tempo de TV será importante e decisivo nas eleições. “O que a gente tem certeza é que nosso tempo será o maior. E isso é importante sob dois aspectos. Primeiro porque com tempo maior teremos mais condições de expor nossas ideias, propostas e o programa de governo. Segundo, porque um tempo maior nos obriga a ter uma qualidade também maior na apresentação dos nossos candidatos”, explicou Duarte.

Já o candidato tucano, o deputado federal Reinaldo Azambuja, que revelou que a chapa não deve ser alterada, chama a atenção para o fato de que os números oficiais só serão conhecidos com o anúncio do TSE. “Esse tempo nos aproxima dos eleitores, e teremos condições de apresentar nossas propostas e o plano de governo que foi construído ouvindo a população de Mato Grosso do Sul. Eu tenho um grau de desconhecimento no Estado, que poderá ser trabalhado nessa propaganda”, afirmou o tucano.

A assessoria do candidato do PMDB, Nelsinho Trad, informou que as discussão sobre coligações e o tempo de TV de cada partido aliado ainda estão sendo discutidas pela cúpula da legenda. As estimativas oficiais só serão conhecidas em agosto após divulgação do TSE. 

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions