A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 21 de Janeiro de 2018

24/08/2012 09:01

Puccinelli aciona Justiça e diz que vídeo foi fraudado

Aline dos Santos

"Não houve qualquer coação, estava pedindo apoio como sempre fiz e sempre farei"

Segundo governador, houve culpa ou dolo na edição de vídeo. (Foto: Rodrigo Pazinato)Segundo governador, houve culpa ou dolo na edição de vídeo. (Foto: Rodrigo Pazinato)

O governador André Puccinelli (PMDB) protocolou ação penal hoje no Fórum de Campo Grande contra o site Midiamax pela divulgação de um vídeo onde, supostamente, coage e troca votos de servidores em benefício de candidatos do PMDB.

“Não houve qualquer coação, estava pedindo apoio como sempre fiz e sempre farei. O material foi editado na sua degravação, distorcendo totalmente o texto original, querendo caracterizar uma coação que não houve. Vão perguntar se houve culpa ou dolo, se foi intencional ou por burrice”, afirmou o governador, que estava em viagem ao interior e veio à Capital para protocolar a ação.

De acordo com o advogado Luiz Cláudio Alves Pereira, a ação contra o diretor do site e o jornalista que assina a matéria é por calúnia, injúria e difamação. “Eles estão sujeitos às penalidades dos artigos 138, 139 e 140 do Código Penal”, explica. Na prática, caso haja condenação, pode ter pagamento de multa ou detenção.

O governador afirma que pagou R$ 3 mil na perícia, feita pelo IPC (Instituto de Perícias Científicas), e que vai exigir ressarcimento. Puccinelli diz que vai cobrar retratação dos outros candidatos a prefeito. “Depois, pergunta para os seis candidatos que estão ofendidos, ao saberem que foi fraude, se vão continuar a utilizar os artifícios da fraude. Nós não usamos golpe baixo”, declarou.

Segundo o governador, não será buscado o autor da gravação. “Deixamos a porta aberta. Não queremos saber quem gravou, a reunião é pública, fora do horário de expediente, não quis coagir”, enfatiza.

O vídeo, divulgado pelo site, mostra uma chamada nominal, seguida por declaração de votos para prefeito e vereador. Puccinelli afirma que não fez interferências para trocar voto e, inclusive, aceitou declarações de voto para a Professora Rose e Reinado Azambuja, ambos do PSDB, partido adversário. “Aceitei até candidatura de candidato a prefeito adversário, a contragosto, mais aceite, democracia é isso”.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions