A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

08/06/2015 18:02

Puccinelli fracassa e ex-deputado trocará PMDB pelo PSDB

Lidiane Kober
Marçal pode assumir comando do diretório municipal do PSDB em Dourados (Foto: Divulgação)Marçal pode assumir comando do diretório municipal do PSDB em Dourados (Foto: Divulgação)

O ex-deputado federal Marçal Filho ratificou decisão de trocar o PMDB pelo PSDB e fracassou a primeira tentativa do ex-governador André Puccinelli (PMDB) de unificar o PMDB nos principais colégios eleitorais do Estado.

“O ex-governador fez um apelo, mas argumentei que não há condição, nada contra com o PMDB, o problema é a questão local, temos aqui um ditador, que há dois anos diz que é candidato, assim não se constrói nada”, justificou Marçal.

Ele se refere ao deputado federal Geraldo Resende (PMDB), que tem o comando do Diretório Municipal do PMDB, em Dourados, e declara-se pré-candidato a prefeito. O próprio Geraldo confirma ter o apoio da maioria dos correligionários e culpa a falta de articulação política de Marçal.

“Há 23 anos não temos candidato. Neste período, o suplente de deputado (Marçal) foi presidente do partido por mais de 10 anos e não conseguiu construir uma candidatura”, comentou.

Em 2012, Marçal colocou seu nome à disposição do PMDB, mas foi derrotado por 11 a 44 votos e a candidatura a prefeito naufragou. Segundo ele, a derrota ocorreu porque Geraldo preferiu apoio à reeleição do prefeito Murilo Zauith (PSB) em troca de cargos na prefeitura.

O deputado, por sua vez, repete que o problema foi falta de articulação política do colega de legenda. “Também era candidato, mas, depois de quatro horas de reunião na governadoria, abdiquei e o partido deu 20 dias para o Marçal construir um projeto. No período, ele não falou com nem sequer uma força política, porque, na verdade, sua candidatura era de faz de conta”, disparou.

Em meio a troca de acusações, Puccinelli foi escalado para conciliar os interesses e segurar os prefeitáveis no partido. Marçal reforçou que não há como seguir no PMDB. Agora, o ex-governador se concentra em unificar o PMDB na Capital.

Novo destino – No PSDB, Marçal espera ter espaço “para construir sua candidatura”. “Não terá imposição, o intuito é somar”, frisou. O fato é que o caminho está livre e ele deve começar sua história no ninho tucano como presidente municipal do partido.

“A ideia é que eu assuma a presidência do diretório, conversei e todos concordaram, sempre com o intuito de somar, será uma construção”, reforçou o ex-deputado.

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) é quem convidou Marçal para fazer parte do PSDB. Ele, porém, é cauteloso e prefere não confirmar a candidatura do futuro correligionário. “Ninguém é candidato de ninguém, tem que vir para somar”, disse.

PMDB repete estratégia que não deu certo em 2012
Feriadão – Pela segunda vez, os servidores públicos estaduais vão enforcar a sexta-feira e emendar o feriado de Corpus Christi. O governador Reinaldo...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...
TRE realiza plantão para cadastramento biométrico neste sábado na Capital
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) realiza neste sábado mais um plantão para atender eleitores de Campo Grande que ainda nã...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions