ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SÁBADO  13    CAMPO GRANDE 

Política

Queda de braço na Infraestrutura deve provocar mudança no 1º escalão do governo

Peluffo pode ir para a Casa Civil e Eduardo Rocha mudar para Brasília

Por Ângela Kempfer | 20/06/2024 18:09
Hélio Peluffo durante entrevista (Foto: Ascom/Divulgação)
Hélio Peluffo durante entrevista (Foto: Ascom/Divulgação)

A data ainda não está definida, mas já é certo que o secretário estadual de Infraestrutura, Helio Peluffo Filho, 63 anos, vai trocar de função no governo do Estado ou até deixá-lo para se dedicar à campanha eleitoral do PSDB.

O clima entre Peluffo e o diretor-presidente da Agência de Gestão e Empreendimentos, Mauro Azambuja Rondon, “é insustentável”, avaliam deputados governistas e assessores próximo do governador Eduardo Riedel. Os dois não se conversam e a “solução” encontrada é manter Rondon, que já estava na agência antes de Peluffo assumir a secretaria.

O governador, pelo menos que tenha comentado com alguém, ainda não sabe o que fazer com o ex-prefeito de Ponta Porã. Comenta-se que ele pode ir para a Casa Civil, e o atual titular, Eduardo Rocha, assumiria o escritório político de MS em Brasília, onde sua esposa, Simone Tebet, atua como ministra do Planejamento.

Outro caminho para Peluffo seria a campanha eleitoral. Deixaria o governo para se dedicar a eleição dos candidatos tucanos, principalmente na região da fronteira com o Paraguai, onde fica sua base eleitoral. Em 2020, ele foi reeleito prefeito de Ponta Porã. No final de 2022, renunciou ao cargo para, no ano seguinte, assumir a Secretaria de Infraestrutura do governo estadual.

Outra engenharia está na definição do nome para substituir Peluffo. Pelo menos três são citados como candidatos: Renato Marcílio, diretor-presidente da Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul), tido como favorito; Mirna Torres, atual secretária-adjunta da pasta de Infraestrutura; e o ex-chefe do Serviço de Engenharia na Superintendência Regional do Dnit, Guilherme de Alcântara Carvalho.

Procurado por telefone pelo Campo Grande News, o secretário Hélio Peluffo, inicialmente riu e se restringiu a afirmar que se tratava de uma “fofoca”. Renato Marcílio também deu risada e garantiu não ter nem recebido convite para deixar a Sanesul. “Estou ótimo”, disse sobre o cargo que ocupa atualmente.

A reportagem também tentou contato com a secretária-adjunta, mas a secretária de Mirna Torres justificou que a chefe estava em reunião. Não conseguimos encontrar Guilherme Alcântara.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias