A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 20 de Março de 2019

20/02/2019 15:25

Reforma da Previdência tem de ser discutida “amplamente”, diz Reinaldo

Governador do Estado participou de apresentação da proposta de reforma no setor, em Brasília

Mayara Bueno
Governador Reinaldo Azambuja (PSDB), no meio, durante reunião em Brasília, nesta quarta-feira (dia 20). (Foto: Clodoaldo Silva/Governo do Estado).Governador Reinaldo Azambuja (PSDB), no meio, durante reunião em Brasília, nesta quarta-feira (dia 20). (Foto: Clodoaldo Silva/Governo do Estado).

Em Brasília, o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), afirmou que a nova reforma da Previdência, apresentada nesta quarta-feira (dia 20), pelo Governo Federal, precisa ser “amplamente discutida”. O chefe do Executivo estadual defendeu, ainda, a unificação dos interesses da União, estados e municípios, em único texto.

Alguns pontos, avalia, ainda sofrerão mudanças pelo legislativo - a matéria tramita no Congresso Nacional. “O importante é que está sendo feito tudo junto, tanto aquilo que interessa aos municípios, estados e União, dentro de uma reforma ampla, e agora sugestões que foram colocadas pelos governadores”.

A apresentação ocorreu durante reunião do Fórum Nacional dos Governadores, no Centro Internacional de Convenções do Brasilem Brasília. Para o chefe do Executivo estadual, muitas coisas serão acatadas pela equipe econômica e outras serão modificadas por meio de emendas, “porque a função do legislativo é essa”.

A proposta apresentada pelo Governo Federal cria uma idade mínima de aposentadoria e acaba com a possibilidade de aposentadoria por tempo de contribuição, ao final do tempo de transição. Para mulheres, a idade mínima de aposentadoria será de 62 anos e, para homens, 65. O tempo de contribuição tem de ser, no mínimo, 20 anos.

Em Mato Grosso do Sul, a Assembleia Legislativa já aprovou a reforma previdenciária. Contudo, focou especificamente na elevação da alíquota de 11% para 14% e unificou os dois fundos previdenciários que existiam. Por ser superiores regras federais em relação às estaduais, MS terá de fazer adequações em suas reforma.

A apresentação da reforma contou com a presença dos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, respectivamente, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions