ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SÁBADO  23    CAMPO GRANDE 20º

Política

Reforma prevê idade mínima de 62 anos para mulheres se aposentarem

Mudança em projeto adiou leitura de relatório, prevista para hoje

Por Leonardo Rocha | 18/04/2017 10:45
Deputados Arthur Maia (relator) e Carlos Marun (presidente), na Comissão Especial da Reforma da Previdência (Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Deputados Arthur Maia (relator) e Carlos Marun (presidente), na Comissão Especial da Reforma da Previdência (Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Mudança no projeto da reforma da Previdência define em 62 anos a idade mínima para as mulheres se aposentarem, frente aos 65 previstos inicialmente. A alterção levou o presidente da Comissão Especial que analisa o tema, deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS), a adiar para quarta-feira (19) a apresentação do relatório final do projeto, que está sendo feito por Arthur Maia (PPS-BA).

De acordo com informações apuradas junto ao gabinete do deputado, houve reunião ontem (17) à noite, com a bancada feminina da Câmara dos Deputados, que reivindicou esta mudança na idade mínima, que no projeto original era de 65 anos para os homens e mulheres.

Em função desta mudança e de outras que podem aparecer no relatório, foi decidido que era melhor adiar por um dia, a apresentação do documento na Comissão Especial.

Marun também participou, nesta manhã, de uma café da manhã no Palácio da Alvorada, com o presidente Michel Temer (PMDB), que contou com a presença de ministros e outros deputados da base aliada. O peemedebista ponderou que outras tratativas ainda estão em pauta, sobre o projeto.

Para a base aliada, não existe prejuízo para o governo em adiar a apresentação do relatório em apenas um dia, já que a intenção é que vote o documento na comissão entre os dias 26 e 27 de abril. Também foi divulgado que o relator do projeto, Arthur Maia, terá uma nova reunião nesta terça-feira (18) com os senadores, para quem sabe incorporar sugestões.

A intenção é que com esta abertura de diálogo, possa facilitar a aprovação da matéria, sem muitas mudanças, quando ele chegar no Senado Federal. O relator ainda vai utilizar este adiamento, para fazer os cálculos do impacto desta alteração, nas contas preliminares do governo. A leitura foi marcada para amanhã (19), a partir das 9h.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário