A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

24/04/2017 13:51

Reforma trabalhista está pautada para discussão na quarta-feira, em Brasília

Segundo o substitutivo proposto, os acordos entre patrões e empregados poderão prevalecer sobre a lei como regra geral

Lucas Junot
Os parlamentares votaram os destaques das matérias na quarta e quinta-feira (Foto: Billy Boss/Câmara dos Deputados)Os parlamentares votaram os destaques das matérias na quarta e quinta-feira (Foto: Billy Boss/Câmara dos Deputados)

O projeto de lei da reforma trabalhista (PL 6787/16) está na pautado para discussão ainda esta semana na Câmara Federal. Os parlamentares podem votar ainda os destaques que tentam alterar a proposta sobre a recuperação fiscal dos estados (PLP343/17). Ambos os projetos são do Poder Executivo.

De acordo com a Câmara dos Deputados, a reforma trabalhista está pautada para as sessões de quarta-feira (26) e quinta-feira (27). Segundo o substitutivo proposto, os acordos entre patrões e empregados poderão prevalecer sobre a lei como regra geral. O texto lista 16 temas para exemplificar esse ponto, como banco de horas, parcelamento de férias e plano de cargos e salários. O projeto original limitava a prevalência a 13 pontos específicos.

O texto também cria a figura do trabalho intermitente, com grandes intervalos dentro da jornada e convocação do empregado com três dias de antecedência. Os pagamentos serão por hora trabalhada e o empregado receberá vários direitos após o cumprimento do trabalho, como férias, 13º salário proporcional e adicionais legais.

Outro ponto previsto é a regulamentação do teletrabalho, possibilitando que o empregado preste serviços da sua casa ou mesmo viajando, via internet ou redes privadas. A compra e a manutenção de equipamento para o chamado home office devem ser definidas em contrato.

Recuperação fiscal - Em sessões na terça-feira (25), o Plenário pode concluir a votação dos destaques apresentados ao projeto de lei complementar (PLP) sobre a recuperação de estados em situação em calamidade fiscal.

Os deputados já votaram dois destaques e mantiveram o texto do relator, deputado Pedro Paulo (PMDB-RJ), quanto às contrapartidas exigidas pela União para que o estado aderente suspenda o pagamento das prestações da dívida por três anos.

Dois dos destaques que serão votados pretendem retirar a possibilidade de privatização de estatais e proibições de realização de novas despesas com pessoal, como contratações, reajustes, auxílios e concessão de incentivos tributários.

Câmara adia de novo votação da PEC que cria distritão e fundo eleitoral
Após várias tentativas de votação nesta terça-feira (22), a análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 77/03, que altera o sistema político-e...
Câmara aprova parcelamento de dívidas de Estados e municípios com o INSS
A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira, 22, em plenário, a medida provisória 778/2017, que permite Estados e municípios parcelarem...
Votação da PEC do fim das coligações será retomada nesta quarta-feira
A Comissão Especial da PEC 282/2016, que propõe o fim das coligações partidárias e estabelece cláusula de barreira, teve que suspender o processo de ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions