A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 24 de Março de 2019

21/02/2019 19:32

Reinaldo pede pressa ao governo federal sobre disputas no campo

No Ministério da Agricultura e no Incra, governador cobra celeridade no apoio a assentados e quanto a demarcação de terras indígenas

Humberto Marques
Questões agrárias de MS foram apresentadas por Reinaldo, Saito e Chaves em Brasília. (Foto: Clodoaldo Silva/Divulgação)Questões agrárias de MS foram apresentadas por Reinaldo, Saito e Chaves em Brasília. (Foto: Clodoaldo Silva/Divulgação)

 

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) cobrou nesta quinta-feira (21), em Brasília, celeridade nos processos de regularização fundiária em andamento em Mato Grosso do Sul. O tema foi discutido com o vice-ministro da Agricultura e secretário Especial de Assuntos Fundiários, Nabhan Garcia, e com o general Jesus Corrêa, presidente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária).

Nas reuniões, Reinaldo apresentou um diagnóstico elaborado em parceria com a Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) indicando como é a ocupação das terras no Estado. Aos integrantes do governo do presidente Jair Bolsonaro, o governador solicitou apoio na regularização fundiária e parcerias em investimentos em assentamentos que, hoje, reúnem 50 mil pessoas.

A solicitação deu continuidade a conversas abertas em janeiro com a ministra Tereza Cristina (Agricultura). “Agora, o presidente do Incra se mostrou sensível aos temas apresentados e às parcerias com a nossa Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural”, disse o governador, referindo-se à Agraer.

Demarcações – Reinaldo também tratou com o governo federal sobre as demarcações de terras indígenas no Estado, alvos de constante tensão e que, desde a gestão de Dilma Rousseff, aguardam ações da União. O governador afirmou sentir que há abertura para o diálogo.

“Já pedi uma agenda com o conselho de caciques, o setor produtivo e o governo federal para podermos avançar nessa política”, disse o governador, reiterando que “a solução depende do governo federal. Precisamos pacificar o campo para atendermos as duas partes e produzir”.

O presidente da Famasul, Maurício Saito, e o secretário especial de Relações Institucionais e Assuntos Estratégicos do Estado, Pedro Chaves, participaram das duas reuniões –o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), participou da discussão no Incra.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions