A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

26/03/2015 12:38

Reinaldo vai discutir vigilância, rota bioceânica e parcerias no Paraguai

Leonardo Rocha
Reinaldo tem pautas importantes no Paraguai, que visam buscar parcerias com o país vizinho (Foto: Marcelo Calazans)Reinaldo tem pautas importantes no Paraguai, que visam buscar parcerias com o país vizinho (Foto: Marcelo Calazans)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou hoje (26), que tem quatro pautas principais que vai discutir com o presidente do Paraguai, Horácio Cartes, nesta quinta-feira (26), em Assunção. Ele ressaltou que na pauta está a discussão sobre a vigilância sanitária na fronteira, a rota bioceânica, que vai contribuir com o desenvolvimento do Estado, além da hidrovia do Rio Paraguai e projeto de integração, que visa negociações entre o país vizinho e Mato Grosso do Sul.

“A vigilância sanitária na fronteira Paraguai-Brasil é muito importante, temos que ter uma ação de integração, até para que não haja problemas no futuro, que podem prejudicar todo um desenvolvimento do Estado”, disse o governador, ao final do evento no auditório do Imasul (Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul), nesta manhã (26).

Reinaldo também citou a discussão sobre a rota bioceânica que irá passar por Porto Murtinho (MS), adentrando o Chile, sendo uma rota importante tanto para o Estado, como ao Governo Federal. “Nós temos muito interesse, e será uma das pautas da conversa com o presidente (Horácio Cartes)”.

O governador ressaltou que existem dois pontos de dragagem no Rio Paraguai, um no território brasileiro, e outro (ponto) no Paraguai, que é importante por conta da navegação. “Esta integração facilitaria o escoamento das riquezas de Mato Grosso do Sul, tendo uma navegação maior e trafego mais fluente no Rio Paraguai”, disse ele.

Ação – Reinaldo destacou que na hidrovia do Rio Paraguai foi instituído um pacto entre os países, com regulamentos e normativa, mas que a Argentina está “desrespeitando” estas regras. “Tanto o Brasil, como o Paraguai precisam fazer uma ação coletiva junto ao governo da Argentina, para que não tenha estes entraves dentro do território deles (argentino) quanto aos nossos comboios, que precisam desta logística, para ter mais competitividade”, argumentou.

Para encerrar o dia, o governador ainda participa, na Embaixada do Brasil, do lançamento do programa “MS Sem Fronteira”, idealizado pelo Sebrae, para potencializar as parcerias e relações comerciais entre o país vizinho e Mato Grosso do Sul. “Assim poderemos apoiar estas atividades, que geram emprego e renda e ainda tiram nossos jovens do tráfico de drogas e contrabando”.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions