ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 29º

Política

Relatório aponta ameaça de irmão a deputado que rebate: “conversa fiada”

Inteligência da segurança pública identificou perigo a Jamilson Name, mas ele diz que advogado forjou caso

Gabriela Couto | 14/04/2023 15:04
Deputado estadual Jamilson Name (PSDB) durante sessão na Assembleia Legislativa, nesta semana. (Foto: Alems)
Deputado estadual Jamilson Name (PSDB) durante sessão na Assembleia Legislativa, nesta semana. (Foto: Alems)

Relatório entregue à Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), já repassado para conhecimento da Assembleia Legislativa, alerta para risco de um atentando contra o deputado Jamilson Name (PSDB). Mas, aparentemente tranquilo, ele garante que tudo não passa de "conversa fiada de advogado".

A informação é de que o irmão dele, Jamil Filho, o “Jamilzinho”, que está na Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, estaria ameaçando o parlamentar de morte. Sem detalhar qual o motivo apontado no documento, o deputado afirma não estar nem um pouco preocupado e trata o levantamento como fake.

O documento assinado por vários órgãos tem data de 2023. Foi elaborado com participação da Diretoria do Sistema Penitenciário Federal, Secretaria Nacional de Políticas Penais, Coordenação-Geral de Inteligência Penitenciária e Ministério da Justiça.

Jamilzinho está preso em Mossoró, de onde é ouvido pela Justiça de MS por videoconferência.
Jamilzinho está preso em Mossoró, de onde é ouvido pela Justiça de MS por videoconferência.

Mesmo assim, Jamilson planeja ir a Mossoró falar com o irmão, preso sob acusação de envolvimento em assassinatos e crime organizado, até então chefiado pelo pai, o falecido Jamil Name. “Estou esperando agendar uma visita ao meu irmão na próxima semana”, pontuou o deputado.

De acordo com o relatório policial, o ex-advogado da família estaria no centro da denúncia. Ele foi retirado da defesa de ‘Jamilzinho’ por suspeitas de ligações com o PCC (Primeiro Comando da Capital), afastamento a pedido de Jamilson Name.

O deputado estadual afirmou que o irmão foi comunicado da troca da defesa, sem reclamar. O ex-advogado, inclusive, teria entregue uma carta de renúncia do caso. Só que pelo documento do setor de inteligência, a medida não teria agradado as partes.

A partir de agora, quem representa o irmão do deputado é o ex-ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Nefi Cordeiro, considerado mais apto e experiente pelo parlamentar.

Além dele, também aparecem em ações que tramitam em Mato Grosso do Sul os nomes dos advogados Ercio Quaresma Firpe, Luiz Gustavo Battaglin Maciel, Eugenio Carlo Balliano Malavasi e Camila Kassiele Zdebski Cordeiro.

Hoje, o deputado Jamilson Name está à frente dos negócios da família, após a perda do pai em 2021, e de a mãe estar doente por consequência de um AVC (Acidente Vascular Cerebral). Os filhos de ‘Jamilzinho’ são menores de idade e também não podem decidir pelo pai.

Procurado pela reportagem do Campo Grande News, o presidente da Casa de Leis, Gerson Claro (PP), disse não saber da existência de um relatório sigiloso. "Somente a Justiça pode responder".

O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Carlos Videira, confirmou a veracidade de informação. "O documento é verdadeiro e foi enviado para o Presidente da Assembleia, porém a única Autoridade que menciona é o deputado Jamilson. O documento foi elaborado em razão da Sejusp ter recebido outro documento de órgão externo", justificou.

***Matéria atualizada às 19h33 para acréscimo de informação.

Nos siga no Google Notícias