ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 26º

Política

Riedel apresenta investimentos de MS em reunião com secretários de fazenda

Evento da Confaz, sediado em Bonito, debateu a manutenção do ICMS e Rota Bioceânica

Por Gustavo Bonotto | 08/12/2023 19:19
Eduardo Riedel durante discurso na 191ª reunião ordinária do Confaz, em Bonito (MS). (Foto: Saul Schramm)
Eduardo Riedel durante discurso na 191ª reunião ordinária do Confaz, em Bonito (MS). (Foto: Saul Schramm)

Secretários de Fazenda das 27 unidades federativas do Brasil participaram, nesta sexta-feira (8), de reunião ordinária do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) sediada em Bonito, município turístico situado a 297 quilômetros de Campo Grande. Entre os tópicos debatidos estão a manutenção do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços), a Rota Bioceânica e o pagamento de precatórios para as unidades federativas.

Na abertura do evento, o governador Eduardo Riedel (PSDB) pontuou as decisões técnicas como a manutenção da alíquota modal do imposto sobre circulação, atualmente congelada em 17%.

“Imagino o quão tenso tem sido pelas posições distintas que os estados, tanto no âmbito técnico como político também. Tenho conversado com meus colegas, meus pares, respeito demais a decisão de cada um deles, todos, sem exceção, têm obrigação de buscar e preservar a sua capacidade de arrecadação e isso faz parte da democracia”, disse o tucano em seu discurso.

O gestor estadual também aproveitou o palanque para citar os investimentos do setor industrial em Mato Grosso do Sul. "As indústrias possuem um olhar para o mercado interno e externo. Isso acontece com a atração da indústria da celulose para o Estado, a estruturação de ferrovias, as concessões de rodovias e a Rota Bioceânica. Em 2023, estamos investindo algo em torno de 16% da nossa receita corrente líquida, principalmente, em infraestrutura", destacou Riedel.

Ainda na solenidade, a ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, disse que o Brasil deve intensificar o comércio com a América Latina por meio de cinco rotas para alcançar os vizinhos sul-americanos. Além disso, está previsto o pagamento de precatórios, que segundo ela, deve injetar mais de R$ 90 bilhões na economia.

“O Brasil não tem condições de crescer de forma sustentável e duradoura com esse sistema tributário caótico. Nós temos por hábito olhar além-mar, olhar nossos parceiros comerciais da Ásia, da Europa, dos Estados Unidos, da América do Norte, e nos esquecemos que já tivemos quase um terço do nosso comércio, normalmente era da América do Sul e da América Latina, houve uma redução“, discursou Tebet.

O secretário especial da Receita Federal do Brasil, Robinson Sakiyama Barreirinhas, presidiu a reunião e afirmou que Mato Grosso do Sul é um exemplo de desenvolvimento econômico sustentável.

Sérgio Longen, presidente Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), enfatizou que a Reforma Tributária será um ponto inicial para a retomada do crescimento econômico.

“Vamos instituir, junto com o Governo do Estado, um grupo de trabalho visando a melhoria dos processos. Entendo que podemos avançar. São novas ferramentas que deverão ser construídas e os secretários saem daqui com a mensagem clara que no nosso estado governo estadual e o setor produtivo caminham juntos”, frisou.

Receba as principais notícias pelo celular. Clique aqui para entrar no canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias