ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 32º

Política

Sem poder assumir prefeitura, Daltro Fiuza lança mulher para candidata a vice

Rosi Fiuza foi escolhida para candidata na chapa de Vanda Camilo

Por Nyelder Rodrigues | 10/03/2021 19:27
Fiuza ao lado da mulher, Rosi, que será vice de Vanda Camilo (Foto: Reprodução/Facebook)
Fiuza ao lado da mulher, Rosi, que será vice de Vanda Camilo (Foto: Reprodução/Facebook)

A disputa pela prefeitura de Sidrolândia - cidade localizada a 71 km de Campo Grande - acontece apenas em 11 de abril, mas já ganha contornos bem claros com dois candidatos já confirmados. O cenário não é muito diferente de 2020, com o então mais votado na época agora lançando sua mulher como vice de outra candidata.

Barrado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) ao ter todo seus recursos contra sua inelegibilidade recusados, Dalto Fiuza (MDB) não pode assumir o comando da prefeitura local, mesmo tendo sido o candidato a prefeito que mais recebeu votos.

A Justiça Eleitoral determinou uma nova eleição na cidade, no dia 11 de abril, sendo que o prazo para a realização das convenções partidárias termina nessa quinta-feira (11) e o prazo de registro das candidaturas se encerra no domingo (14).

O pleito suplementar envolverá apenas candidatos a prefeito e vice. Daltro, impedido, lançou sua mulher, Rosi Fiuza (MDB) como vice de Vanda Camilo (PP), eleita vereadora em 2020 e presidente da Câmara Municipal em 2021, assim ficando interinamente como prefeita. Do outro lado, ele disputará contra Enelvo Felini (PSDB).

Ex-prefeito de Sidrolândia e ex-secretário estadual na Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) e Funtrab (Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul), Enelvo segundo colocado em 2020 e foi confirmado novamente como candidato a prefeito nas eleições de abril.

Dessa vez, seu vice será Moacyr de Almeida Filho (Patri). Ele pretendia disputar a prefeitura contra Enelvo e Vanda, contudo, foi convencido a se aliar ao ex-secretário e agora será seu vice. Uma importante aliança dessa chapa envolve o também ex-prefeito sidrolandense Ari Basso, atualmente sem partido.

Mais cidades - Outros três candidatos a prefeito em Mato Grosso do Sul vencedores nas urnas em 2020 estão em situação semelhante a de Daltro, mas ainda aguardam serem julgados em definitivo para saber se podem ou não assumir seus cargos.

São eles João Donizeti Cassuci (PDT), vencedor do pleito pela prefeitura de Angélica, Heliomar Klabunde (MDB), em Paranhos, e Álvaro Urt (DEM), em Bandeirantes. Nessas cidades, caso eles sejam impedidos de assumir, também deverá ter nova eleição.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário