A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

25/04/2016 15:05

Situação do lixo na Capital domina audiência sobre saneamento

Evento uniu Assembleia Legislativa e Câmara Municipal na busca por solução aos impasses envolvendo catadores e coleta de lixo

Alberto Dias
Arcebispo dom Dimas, ladeado pelo vereador João Rocha (PSDB) e os deputados Junior Mochi (PMDB) e Pedro Kemp (PT). (Foto: Alcides Neto)Arcebispo dom Dimas, ladeado pelo vereador João Rocha (PSDB) e os deputados Junior Mochi (PMDB) e Pedro Kemp (PT). (Foto: Alcides Neto)

Falta de planejamento para a coleta de lixo e destino correto dos resíduos sólidos, foram alguns dos itens debatidos nesta segunda-feira (25), em audiência pública realizada na Arquidiocese de Campo Grande. Outra questão polêmica foi o destino dos catadores removidos da favela Cidade de Deus para a região do Dom Antônio Barbosa.

Para o deputado estadual Pedro Kemp (PT), presente no encontro, é preciso definir a situação da moradia e trabalho das famílias de catadores que trabalhavam no lixão. “Esta situação não está resolvida e também precisamos de um planejamento para estender a coleta seletiva e também o esgoto que precisa chegar aos bairros mais distantes”, avaliou o parlamentar.

Com o tema: "Saneamento: um direito de todos”, o evento buscou demonstrar que saneamento vai muito além de esgoto, abrangendo também as questões envolvendo lixo, rede de água e saúde pública, pois é impossível combater o mosquito Aedes aegypti, por exemplo, 
sem resolver o problema do lixo.

Além de representantes da Assembleia Legislativa, esteve presente o presidente da Câmara Municipal, João Rocha (PSDB). “Esperamos que o município apresente soluções definitivas, não apenas com projetos, mas com ações efetivas”, disse o vereador. Rocha reclamou ainda a falta de estações de tratamento, além de mais pontos para coleta de lixo.

Segundo ele, o próximo passo é sistematizar as propostas discutidas e encaminhar para a Câmara Municipal, Assembleia Legislativa, Ministério Público e Defensoria Pública. “Além da Prefeitura, que é responsável por 90% das questões discutidas hoje e que precisa melhorar o saneamento básico em Campo Grande”, finalizou.

O encontro é resultado de parceria entre a Arquidiocese de Campo Grande e a Comissão Regional de Justiça e Paz da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). Participaram como co-organizadores a Assembleia Legislativa e Câmara Municipal. Entre os palestrantes estavam os engenheiros Ariel Ortiz Gomes e Fernanda Savicki de Almeida.

Campanha - O arcebispo de Campo Grande, Dom Dimas Lara Barbosa, disse que o tema deste ano, na Campanha da Fraternidade, visa abordar a universalização do saneamento, para reflexão sobre a importância as boas condições e acesso a água potável. Ele ainda citou a defesa e divulgação da "tarifa social", para que muitas famílias carentes possam ter até 50% no desconto na conta de água.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions